Se você tem manchas no rosto, cicatriz de acne, alopecia, estrias ou deseja melhorar as linhas e rugas de expressão, fique atento. O mercado vai lhe oferecer dezenas de recursos para melhorar a pele, ainda mais nesta época do ano, em que as baixas temperaturas ajudam na realização de inúmeros procedimentos estéticos. Mas um deles entrou em evidência por conta da velocidade e da qualidade dos resultados. Trata-se da terapia de indução percutânea, o chamado microagulhamento. Você já ouviu falar dele?
Quem nos esclarece os pontos mais importantes desse método é a fisioterapeuta dermato funcional Dra. Cássia Teixeira, que se especializou em microagulhamento e tem empregado a técnica, com sucesso, nos pacientes de Campos e região. 
Segundo Dra. Cássia, os benefícios da terapia são enormes, principalmente se comparados a outros tratamentos. “No inverno, muita gente vem ao consultório para retirar manchas, porque o tempo frio é o período ideal para fazer o tratamento. Essas técnicas ablativas buscam estimular o colágeno, mas elas deixam a pele muito sensibilizada, aumentando o risco de uma hiperpigmentação. Isso porque, mesmo com a baixa temperatura, o sol continua aparecendo e não há o clima 100% ideal para o paciente. A recuperação é lenta e pode haver um efeito rebote, comprometendo todo o resultado. Já o microagulhamento é diferente. Ele penetra as camadas mais fundas da pele e aplica ativos terapêuticos sem danificar a epiderme, que é o que ocorre no uso do laser ou de alguns ácidos”, explica Dra. Cássia. “Como não há essa danificação na camada superficial da pele, o retorno do paciente às atividades laborais é muito mais rápido. Ele volta ao trabalho no dia seguinte. Ao contrário de outros tratamentos que, muitas vezes, deixam o paciente de repouso durante 15 dias. Sem dizer que o microagulhamento proporciona um benefício duplo, pois estimula a produção de colágeno e elastina e aplica ativos de acordo com a necessidade do paciente. Essa junção terapêutica potencializa o tratamento e oferece resultados mais rápidos e efetivos”, explica Dra. Cássia.
A fisioterapeuta detalha o processo. “O microagulhamento exige uma anamnese bastante criteriosa e um conhecimento profundo da técnica. Porque ela, como qualquer outra, apresenta riscos. Mas eles são extremamente minimizados se houver um bom preparo antes de realizá-la. Por isso a consulta é tão importante. O paciente não vai chegar aqui e logo ser submetido ao microagulhamento. A pele tem que estar limpa e bem hidratada para receber a técnica”, afirma Dra. Cássia. “O microagulhamento consiste no uso de um roller esterilizado, com diversas microagulhas, que penetram a pele para aplicar os ativos. A passagem do roller estimula a elastina e o colágeno no paciente, enquanto a aplicação dos ativos favorece o rejuvenescimento, elimina manchas, trata casos de alopecia, estrias, entre muitos outros”, explicou a fisioterapeuta. “Outra vantagem é que, nesse método, dá para usar vários ativos ao mesmo tempo, aprimorando ainda mais os resultados para os pacientes”.
Segundo Dra. Cássia, o emprego da técnica exige muito conhecimento, além do uso de materiais adequados e certificados pela ANVISA. Procure o profissional especializado e renove a sua pele!
Informações complementares poderão ser obtidas através dos telefones (22) 2725-8060 e 2725-1560.

Texto produzido em: 27/06/2017