Você vive estressado? Falta de tempo, discussões no trabalho, problemas familiares ou até mesmo um bate-boca no trânsito já te tira do sério e muda o seu astral pelo resto do dia? Se este é o seu caso, é bom ter cuidado. O estresse emocional é um mal que atinge grande parte da população mundial nos dias de hoje e tem ocasionado diversas doenças. É bom saber que o estresse é um processo que se desenvolve por etapas. O indivíduo pode ter um estresse temporário de baixa ou grande intensidade ou sofrer um desequilíbrio emocional e psicológico que ocasione um problema mais grave.
“Depende de como cada um vive com as situações de estresse. Posso ter uma discussão no trânsito e carregar aquilo ao longo do meu dia, levando para outras situações ao ponto de se tornar uma ‘bola de neve’. Quem consegue lidar bem com o momento de estresse, sem levar adiante e não deixando comprometer a vida como um todo, vive melhor, mais leve. Entretanto, o que acontece, em muitos casos, é o estresse temporário virar permanente. Aquilo acumula de uma maneira que vira um problema mais sério”, comenta a psicóloga Bárbara Velloso.
O estresse é um processo e não uma reação química. No momento em que o indivíduo é sujeito a uma fonte de tensão, instala-se um longo processo bioquímico com manifestações sintomáticas, como taquicardia, tensão muscular, sudorese e outros. O estresse é uma resposta do organismo que envolve reações físicas, psicológicas, mentais e hormonais, ocasionando um desequilíbrio e uma necessidade de adaptação para preservar o bem-estar.
Na área emocional o estresse pode gerar apatia, depressão, desânimo e hipersensibilidade emotiva (ira, raiva, ansiedade), podendo desencadear surtos psicóticos e crises neuróticas em pessoas predispostas. Por conta disto, é importante observar algumas características de quem vive com estresse elevado. Esta pessoa provavelmente terá dificuldade de concentração, problema de memória, queda de produtividade, redução da libido, crise de ansiedade e/ou humor depressivo.
“É necessário identificar as fontes de estresse para poder tratá-lo. O trabalho do psicólogo é entender os valores e as crenças inadequadas, distorções cognitivas, expectativas infundadas, padrões de comportamento, falta de assertividade, dificuldades de expressão de afeto ou tendência a padrões de respostas emocionais ligados a experiências passadas. E o tratamento do estresse é ensinar formas de lidar melhor com as situações causadoras e evitar que se torne excessivo ao ponto de prejudicar a saúde. Quem sofre com estresse precisa mudar alguns hábitos de vida e de comportamento para combatê-lo e conseguir viver de uma forma mais harmoniosa”, concluiu a psicóloga, enfatizando os prejuízos que o estresse e a ansiedade podem fazer na vida de muitas pessoas. 

Texto produzido em: 07/12/2016