Para um jornal se firmar como um veículo de relevância, independentemente do meio em que está inserido, não basta que ele se autopromova, como é tão comum no Brasil. Um meio de comunicação deve, antes de tudo, tornar-se necessário à sua massa de leitores, tratando-os de maneira ética e responsável, para que essa relação frutifique por si mesma. É isso que faz um veículo transcender o trabalho do dia a dia para alçar voos importantes em sua trajetória. 
Ao longo desses 28 anos, o Mania de Saúde encarnou essa realidade ao amealhar diversas conquistas que, além de demonstrarem a força do veículo para o interior fluminense, refletiram a forma como o jornal se tornou indispensável para o público leitor, cumprindo assim o seu papel informativo e cidadão.
Entre os fatos notórios ocorridos nessas quase três décadas, consta, por exemplo, a parceria com a Unimed Campos, firmada em 1993 e concluída em 2013, que ajudou a difundir ainda mais o Mania de Saúde entre a classe médica, por meio de boletins informativos e matérias direcionadas aos profissionais e aos clientes da cooperativa, antecipando em muito a tendência de abordar a qualidade de vida, tão em voga no mundo de hoje. 
Dessa união acabou resultando, algum tempo depois, uma nova parceria, desta vez com a Unimed Norte Fluminense, em Itaperuna, que perdura até hoje. A cooperação entre as duas empresas reforçou a chegada da edição Noroeste Fluminense do Mania de Saúde, no ano de 1995, que fez o mensário realizar uma abordagem local naquela região, até então carente de veículos informativos, especialmente na área da saúde. 
Outro pioneirismo marcante, no início do jornal, foi a coluna “Informática”, que teve início em 1994, sendo repaginada em 1997, sob a responsabilidade do médico Dr. Affonso Américo de Freitas, auditor da Unimed Campos à época e responsável pela implantação da informatização da singular da Unimed, em Campos. Naquela época, não havia seções fixas sobre o tema e as informações sobre a chegada do mundo virtual ainda eram incipientes, o que atraiu um número grande de leitores – e futuros especialistas – para o Mania de Saúde.
Essa predisposição a identificar novidades e antecipar tendências, refletida pela coluna “Informática”, levou o Mania de Saúde a, logo em seguida, entrar para a história local ao se tornar, em 1995, o primeiro veículo em cores da região, aprimorando a qualidade do jornalismo no interior fluminense. O fato, por exemplo, já foi retratado em diversos materiais pedagógicos em escolas de Campos, o que atesta sua singularidade.
Outro golaço do Mania de Saúde, em sua primeira década de existência, foi a carta de agradecimento enviada ao jornal por ninguém menos que João Havelange, em 1994, quando ele presidia a FIFA, após um texto publicado pelo jornal, de autoria do jornalista Fábio Fourlan, na edição de junho daquele ano, versando sobre a Copa do Mundo realizada nos Estados Unidos, onde nossa seleção conquistou o tetracampeonato. Havelange disse ter lido “com verdadeira emoção” o artigo que o Mania de Saúde fez sobre a sua pessoa, “no momento em que muito se escreveu sobre a Copa do Mundo USA’94”, em carta endereçada a Sylvio Muniz.
Todo esse trabalho jornalístico, feito em diversos municípios do Norte e Noroeste Fluminense, abordando o trabalho de médicos, dentistas, fisioterapeutas, enfermeiros e demais profissionais de saúde, bem como de outros segmentos da sociedade, levou o Mania de Saúde a receber ainda o Prêmio Qualidade Brasil, em 2008, fazendo parte do ranking de empresas que se destacam pela excelência no setor de produtos e/ou serviços. O mesmo reconhecimento veio também da Alerj e da ABI, onde Sylvio Muniz recebeu comendas de honra ao mérito em reconhecimento ao trabalho jornalístico feito pelo Mania de Saúde, que hoje consolida um legado de vitórias e conquistas em prol de nossa região. Isso tudo – é bom lembrar – estando sempre ao seu lado!

Texto produzido em: 28/05/2019