Carla Yara e Jéssica Zaninho

Se até pouco tempo atrás a sustentabilidade era vista como mero modismo por parte da população brasileira, hoje a realidade é outra. Mesmo os mais céticos estão percebendo que, quando se trata de consumo, cada um precisa fazer a sua parte.
Em Guarapari, a falta de água que já ocorreu em alguns prédios durante este verão, devido ao excesso de consumo, segundo manifestaram alguns leitores, se somou à preocupação nacional quanto à situação hídrica do país. O receio de faltar água é maior do que se imagina. Mas os profissionais do setor são unânimes: não adianta colocar toda a responsabilidade em cima de governos. O cidadão pode e deve colaborar para evitar o desperdício.

Na Praia do Morro, a reportagem do Mania de Saúde se deparou com uma atitude que já deveria ser tomada em outros lugares, que é a conscientização do público em relação ao consumo de água. Pela orla, Carla Yara e Jéssica Zaninho promoveram a campanha realizada pela Companhia Espírito Santense de Saneamento (Cesan), abordando munícipes e turistas para adotarem algumas medidas de economia. “Estamos sendo bem recebidas. Apesar de existirem pessoas reclamando da infraestrutura, a maioria também entende que há a necessidade de um melhor consumo. Hábitos como deixar a torneira aberta enquanto se lava as mãos, escova-se os dentes ou enxágua-se no banho provocam muito desperdício e devem ser mudados”, frisa Carla.

Jéssica Zaninho citou outras recomendações passadas aos veranistas. “O uso do vaso sanitário pode ser racionalizado. Descargas representam 25% do consumo doméstico. O cidadão consciente regular com periodicidade a válvula e tenta não jogar lixo no vaso. Tem gente que joga um simples fio dental e dá descarga! Essa é uma recomendação importante. Outra dica é fechar a torneira enquanto a roupa é lavada e só abri-la no enxágue. Sempre lembrando de observar as condições das torneiras, bóias de caixa, registros e etc., para estar sempre em dia e combatendo possíveis vazamentos. Afinal, o bem que se está fazendo não só para os outros, mas para si mesmo”, finalizou.

Além do consumo racionalizado, a esperança agora é que cesse a seca nos principais rios que fornecem água para a região. De acordo com a Cesan, a redução na quantidade de água chegou aos 20%. Para se ter uma ideia da seca nos rios, até o dia 28 de dezembro, a empresa estava produzindo 700 litros de água por segundo e, a partir de 29, só conseguia produzir 540 litros de água por segundo. Ou seja: é hora de economizar!

Texto produzido em: 16/01/2015