O exame da Ordem dos Advogados do Brasil é o temor de muitos bacharelados em direito. O advogado e professor Dr. Luiz Victor Monteiro Alves não fica em cima do muro e opina sobre o assunto: “o exame da ordem não ratifica conhecimento. Há candidatos que passam no exame e nem por isso se destacam na advocacia”.
Mania de Saúde – Como o Sr. avalia o exame da OAB e a sua importância para a categoria e para o judiciário brasileiro? 
Dr. Luiz Victor Monteiro Alves –
Avalio o Exame da Ordem como um mal necessário. O Advogado é um profissional que lida diariamente com temas de enorme importância na vida de cada cidadão. Cuida de questões jurídicas que envolvem patrimônio, liberdade e a honra das pessoas. Portanto, é necessário que tenhamos uma ferramenta para aferir se a pessoa que pretende exercer a advocacia reúne o mínimo de capacidade técnica para o correto desempenho desta função. O exame da OAB é, por conseguinte, um instrumento de proteção da cidadania.
Mania de Saúde – O exame ratifica o conhecimento do bacharelado para “colocá-lo” no mercado de trabalho. Concorda com essa afirmativa?
Dr. Luiz Victor Monteiro Alves –
O exame da ordem não ratifica conhecimento. Há candidatos que passam no exame e nem por isso se destacam na advocacia. A questão é muito simples. Em 1995 tínhamos 165 Cursos de Direito no Brasil. Já em 2016 este número subiu para 1.266 cursos. Com este expressivo aumento de mais 600% é natural que ocorra uma crise no ensino do Direito e, por consequência, uma parcela expressiva dos alunos deixem a universidade sem a mínima capacidade de exercer a advocacia. Nesta ótica, é fundamental que o exame da OAB venha separar o joio do trigo e, com isso, proteger a sociedade do risco de contratarem um advogado inepto.
Mania de Saúde – Outras categorias, como a médica, deveriam seguir o exemplo com exames do mesmo molde da OAB? É uma questão de credibilidade para a classe?
Dr. Luiz Victor Monteiro Alves –
Sinceramente penso que sim. Há uma expressão pejorativa que se refere a “advogado de porta de cadeia”, quando o profissional não se revela competente. Por essa mesma razão, poderíamos também falar em “médico de porta de hospital” e “engenheiro de porta de obra”. A sociedade precisa se sentir protegida de todos os maus profissionais. 
Mania de Saúde – Como deve ser a preparação adequada dos bacharelados para o exame da OAB?
Dr. Luiz Victor Monteiro Alves –
O Direito é um oceano considerando-se a sua repercussão social. Costumo dizer aos meus alunos que, da mesma forma que conhecemos os pescadores de água rasas, que se contentam com o peixe menos nobre, também temos o pescador de águas profundas, que pesca o peixe mais nobre e, portanto, mais caro. No entanto, este pescador de águas profundas, para enfrentar o mar bravio, tem estar bem equipado. O mesmo acontece com o advogado. Para atuar em grandes causa e auferir elevados honorários deve estar preparado. É na universidade que o aluno tem a oportunidade de construir bem o seu barco e adquirir um bom equipamento. Está preparado para o exame da ordem aquele aluno que valorizar e se dedicar ao estudo de todas as disciplinas oferecidas durante o curso.
Mania de Saúde – Como enxerga o nível de aprovação? É realmente um exame bastante rigoroso?
Dr. Luiz Victor Monteiro Alves –
Não acho que seja um exame bastante rigoroso. O que temos são alunos que estão saindo dos cursos de direito sem o necessário conhecimento e preparo teórico para enfrentar o exame da OAB. 

Texto produzido em: 20/02/2017