A fisioterapia é uma área da saúde envolvida com o estudo, prevenção e tratamento de lesões no corpo humano decorrentes de traumas e doenças adquiridas ou genéticas. O profissional dessa área é denominado de fisioterapeuta e deve ter formação acadêmica superior no ramo. No dia 13 de outubro, inclusive, é comemorado o Dia do Fisioterapeuta.
De acordo com o Conselho Federal de Fisioterapia e Terapia Ocupacional (COFFITO), as diferentes áreas desse campo de atuação são fisioterapia clínica, saúde coletiva, educação e outras. Na fisioterapia clínica, o profissional está habilitado a atuar em hospitais, clínicas, centros de reabilitações, entre outras unidades de saúde. Na saúde coletiva, o fisioterapeuta é responsável por promover ações que garantam a saúde de grupos de pessoas, podendo participar, por exemplo, de programas de fisioterapia do trabalho e de ações básicas de saúde. Na área da educação, o profissional pode atuar em cursos de graduação e pós-graduação, além de realizar pesquisas no campo. Por fim, a área classificada como “outras” engloba o desenvolvimento de equipamentos e produtos para fisioterapia e a atuação na área esportiva.
O coordenador do curso de Fisioterapia da Faculdade Redentor, professor Pierre Augusto Victor da Silva, afirmou à reportagem do Mania de Saúde que há uma expansão na área. “De cinco anos para cá houve um bom crescimento no mercado de trabalho para a fisioterapia. Antigamente, era mais difícil introduzir a figura do fisioterapeuta dentro de um hospital, no meio esportivo, nas áreas de ortopedia e traumatologia, pois ele acabava ficando restrito às clínicas. A realidade hoje é bem diferente. O leque é bem maior. Os grandes clubes atualmente necessitam de um profissional da fisioterapia. Os hospitais, da mesma forma, nos CTIs e UTIs. Os Programas de Saúde da Família (PSF) também estão empregando fisioterapeutas. Hoje está mais fácil ser um profissional autônomo dentro desta área. O Pilates é algo que tem sido muito visado pelos estudantes egressos da faculdade, que procuram por especializações para montar suas próprias clínicas, consultórios e estúdios. Segundo dados da Organização Mundial da Saúde, o Pilates deve crescer ainda por mais dez anos em todo o mundo. Hoje a população está mais consciente da importância do papel da fisioterapia, que não se limita apenas à cura, pois está ligado também à prevenção. Além de reabilitar e devolver as suas funções, ela previne lesões, por exemplo”, finaliza o coordenador. 

Texto produzido em: 22/09/2016