Ao mesmo tempo em que o mundo moderno nos impõe uma rotina agitada, com muitos afazeres e pouco tempo para preparar uma alimentação em casa, essa mesma modernidade nos dá acesso a muita informação diariamente. Nunca antes houve uma preocupação tão grande de manter um cotidiano de hábitos alimentares saudáveis. É neste cenário que o mercado de trabalho para os nutricionistas está se ampliando cada dia mais. 
Para quem está pensando em iniciar uma graduação em Nutrição, a coordenadora do curso de Nutrição da Faculdade Redentor, a Doutora em Ciência e Tecnologia de Alimentos, Fabíola Azevedo, conta um pouco sobre a área. “O curso de graduação tem quatro anos, com oito semestres letivos e o aluno se forma em Bacharel em Nutrição, com uma formação generalista, que vai permitir que ele trabalhe em qualquer área da profissão. Existem quatro grandes áreas, a Nutrição Clínica, Alimentação Coletiva, Saúde Coletiva e a área de Tecnologia de Alimentos. São inúmeras possibilidades dentro dessas áreas. Na Alimentação Coletiva (onde o mercado mais absorve os recém-formados) é possível atuar em restaurantes comerciais ou institucionais e também trabalhar embarcado. Outro campo de grande empregabilidade é a Nutrição Esportiva, que é o atendimento clínico a um grupo de participantes de atividade física e atletas. Hoje o nutricionista lida com uma variedade muito grande de alimentos e micronutrientes. Saímos daquela prescrição onde só tinha basicamente carboidrato, proteína, lipídios e os micronutrientes (minerais e vitaminas). Hoje existem diversas outras possibilidades, como os suplementos (uma complementação da alimentação) e os bioativos. Atualmente, as pessoas estão mais bem informadas sobre alimentação e isso acaba divulgando a profissão do nutricionista”, destaca. 
O perfil do aluno do curso de Nutrição, segundo ela, acaba sendo mais amplo e dinâmico. “É uma área em que o profissional vai trabalhar com alimentos que proporcionam saúde ao indivíduo. O intuito é que o paciente consuma esses alimentos de uma forma equilibrada e que eles possam trazer saúde e ajudar no tratamento de algumas doenças específicas que envolvem a alimentação. É preciso ter aptidão para a área da saúde. Especialmente agora, em que o mercado de trabalho está em grande expansão. Existe uma expectativa de vida maior e, em função disso, as pessoas estão preocupadas em ter uma vida ativa. Aos 60 anos, elas estão buscando ter qualidade de vida para permanecer em atividade. E isso envolve a nutrição, que acaba sendo um dos pilares para a qualidade de vida. A procura pelo profissional é muito grande. As empresas, de uma forma geral, estão buscando o nutricionista, que é quem vai ter o cuidado em todos os processos durante o preparo do alimento, como escolha do cardápio, higienização, controle microbiológico etc. Além disso, o nutricionista pode abrir sua própria empresa ou consultório. Por isso é sempre importante falar: nunca pare de estudar e de se atualizar, porque a área da saúde é extremamente dinâmica”, frisa Fabíola. 
No caso dos jovens, que estão ligados nas redes sociais, Dra. Fabíola faz uma ponderação importante, que diz respeito ao hábito de seguir dietas das blogueiras fitness. “Toda dieta é individualizada e intransferível. Porque o profissional elabora a dieta de acordo com a idade, altura, peso, rotina, histórico familiar... Tudo isso é avaliado. Essas blogueiras falam de uma dieta que funcionou para elas, mas que não vai funcionar da mesma forma para todo mundo. Às vezes elas divulgam rotinas até agressivas e são pessoas que têm uma prática de atividade física muito intensa, o que não corresponde à realidade da maioria da população”. 

Texto produzido em: 21/09/2016