Lima, a capital do Peru banhada pelo Pacífico apresentou-se neste junho passado, sempre nublada, com um frio intenso e de trânsito pra lá de caótico. Com população estimada em 9 milhões de pessoas, é considerada a capital gastronômica da América do Sul, sendo a quinta área metropolitana mais populosa da América Latina. 
Fica evidente que suas águas geladas espantam os mais intrépidos dos surfistas, que são obrigados a surfar completamente envelopados em roupas de borracha. Restando para o turista conhecer suas principais ruínas e sítios arqueológicos, o centro Histórico, seus Museus, uma infinidade de mercados de artesanato, o maior parque de águas dançantes do Mundo e por fim visitar os seus famosos restaurantes.
Confesso que Lima foi umas das poucas cidades que visitei na qual fiz excelentes refeições em todos os restaurantes, do mais caro ao mais barato, da mais simples barraquinha de rua às chiques lanchonetes gourmet. Os ingredientes da cozinha peruana encantam pelo cheiro textura e paladar inigualáveis, todos sempre acompanhados do familiar Pisco Sauer ou dos mais exóticos sucos. Tive oportunidade de visitar todas as filiais do mundialmente famoso Chef Gastón, inclusive em Cusco e indico sem restrições para todos. 
Como toda Capital da América do Sul, Lima é uma cidade de contrastes e surpreende pela limpeza, educação e cordialidade do seu povo que recebe muito bem o brasileiro e é impregnado de cultura nativa.

Texto: 20/06/2016