Dra. Vanda Terezinha de Vasconcelos

 

Conversar com Dra. Vanda Terezinha de Vasconcelos, presidente da Sociedade Fluminense de Medicina e Cirurgia (SFMC), é uma aula. E não poderia deixar de ser. Afinal, antes de salvar vidas como médica pediatra, ela pavimentou futuros ao construir uma brilhante carreira na educação, a ponto de as duas profissões se misturarem de tal maneira em sua personalidade que é quase impossível não perceber o afeto que a envolve no mês dedicado aos médicos, aos professores e às crianças.


Não é por acaso, aliás, que ela dê aula na Faculdade de Medicina de Campos (FMC) desde que se formou, há quase 35 anos. E o nome da disciplina ministrada por ela não poderia ser mais apropriado: medicina de família e comunidade. “É muito interessante notar como o ensino da medicina está voltado para dar aos alunos uma experiência prática logo no início do curso. Eles hoje participam de muitas atividades de campo. Não dentro de hospital ou unidades complexas, mas em unidades básicas, conversando com as pessoas, indo nas casas dos pacientes, medindo, pesando, aferindo pressão, para ter esse contato inicial. Isso é muito pedagógico. A questão de conhecer o paciente e aprender a construir essa relação é muito presente hoje nos jovens que escolheram a medicina. Ou seja: tirar essa visão de tratar só de pessoas doentes. Agir preventivamente é o melhor caminho para lidar com a saúde e é uma conquista necessária de se evidenciar neste Dia do Médico”, ressaltou.


Dra. Vanda, que só realizou o sonho de ser médica depois de já ter construído uma carreira na educação (foi, inclusive, diretora de escola), se alegra com a presença feminina nos bancos de faculdade. “A proporção de mulheres nas salas de aula é fantástica. Antigamente, eram poucas fazendo medicina. Acreditava-se que lugar de mulher era em casa. Esse tempo, felizmente, passou. Hoje a maior parte das turmas é do público feminino. Elas estão conquistando cada vez mais o seu espaço e isso é muito gratificante”, endossa a médica.
Defensora da educação e prova viva do quanto ela é importante (Dra. Vanda também é médica do trabalho e ainda se formou em Direito), ela cita a importância das pessoas aliarem a competência e o gosto pela profissão em qualquer área que deseja seguir, dentro da medicina ou fora dela. “Quando a pessoa é competente e tem afinidade com o ramo que optou, vai conseguir fazer um bom trabalho e garantir o seu espaço. Quem foge dessa premissa acaba tendo dificuldades. Essa é uma lei básica que rege a vida de qualquer um de nós. A mensagem que posso deixar para qualquer profissional é se dedicar ao máximo aos seus sonhos e às suas escolhas, pois é essa dedicação que dilata horizontes e constrói caminhos, sempre em prol de uma sociedade mais digna para todos”.


Para o Dia do Médico este ano, a SFMC, segundo ela, preparou um presente especial, que é o lançamento de um livro contando a história de 28 médicos com mais de 50 anos de formados. “Esse livro será lançado na semana do médico, como forma de homenagear nomes e trajetórias tão importantes na medicina de nossa região.  É uma obra que tem uma relevância não só pela área médica, mas também pelo próprio valor histórico, porque essas histórias precisam ser contadas e servirem de registro às atuais e às futuras gerações”, pontuou.
Vale lembrar que SFMC costuma sempre valorizar a memória dos profissionais médicos que atuaram em Campos e região, seja na sede da entidade, com a galeria dos ex-presidentes, seja no portal da SFMC, com a “Galeria da Saudade”. Conheça!

 

Texto produzido em: 22/09/2015