O que antes parecia um sonho, agora virou realidade. No dia 08 de julho, os alunos do 9º período do curso de Medicina da UniRedentor deram início ao tão esperado período de internato, pavimentando o caminho para a formação da primeira turma de médicos do Centro Universitário Redentor, que mais uma vez se destaca no cenário educacional em nossa região.
A abertura do internato foi realizada por meio de uma cerimônia, no auditório da instituição, contando com a presença dos alunos, coordenadores e professores, além de integrantes do Conselho Regional de Medicina do Rio de Janeiro – CREMERJ, que deram aos estudantes a carteira de médico interno, um feito significativo para toda a comunidade uniredentoriana, como afirma a coordenadora do curso de Medicina, Dra. Renata Gontijo.
“Para nós, foi um evento muito marcante, um momento de grande maturidade da nossa instituição. Chegamos ao fim do ciclo básico, do ciclo clínico, e agora estamos entrando no estágio curricular. Na cerimônia, tivemos a presença do CREMERJ, representado pelo Dr. Ricardo Farias, que entregou a carteira do interno de medicina a cada aluno. Todos eles ficaram bastante empolgados e puderam relatar suas experiências ao longo dessa jornada. Foi um momento muito bacana para todos nós”.
O internato, segundo Dra. Renata, segue as diretrizes curriculares nacionais e é dividido em áreas essenciais da atenção básica, englobando saúde coletiva, saúde mental, ginecologia e obstetrícia, pediatria, clínica médica e cirurgia. “O internato, nesses primeiros seis meses, será realizado em Itaperuna, nas unidades básicas de saúde. Os últimos 18 meses serão realizados em Campos dos Goytacazes, onde temos convênio com a Fundação Municipal de Saúde de Campos e com a Fundação Benedito Pereira Nunes, que é credenciada pelo MEC. Vale lembrar que nosso internato é essencialmente baseado em atenção básica, assim como todo o curso. Nesta fase, os alunos estarão dentro dos hospitais porque chegou o momento de estágio, uma etapa de conhecimento muito importante, mas nossa formação é baseada na medicina generalista desde os primeiros períodos do curso. Essa diretriz será seguida também no internato, aprimorando assim a formação de cada aluno”, destacou a coordenadora.
Ela lembra que o curso de Medicina da UniRedentor tem sido reconhecido no meio acadêmico, sobretudo nos congressos de ensino médico, pela forte presença na atenção básica, fazendo uso das chamadas metodologias ativas, vendo o aluno como protagonista do seu aprendizado. “Soma-se a isso o alto nível de exigência da UniRedentor, que possui um time de profissionais de excelência, com professores motivados, além de uma equipe que, a meu ver, veste a camisa da instituição e acredita que juntos somos mais fortes, fazendo assim a diferença na formação médica”.
Opinião semelhante tem o Dr. Paulo Apratto, coordenador da atenção básica da UniRedentor. “O internato médico é obrigatório, onde o estudante já aprovado em todas as disciplinas básicas, clínicas e cirúrgicas acompanha as rotinas dos serviços de diversas especialidades para adquirir experiência e desenvolver habilidades nas principais áreas do curso médico, com supervisão direta de preceptores. O internato representa o momento em que os alunos irão aplicar o conhecimento adquirido ao longo da graduação e com capacidade de aprofundar esse conhecimento. Para o estudante, representa o momento de transição da teoria para a prática, pois, nesta fase, eles ficam próximos do cotidiano médico, tendo a possibilidade de participar da tomada de decisão clínica e a aquisição da destreza das diversas habilidades médicas, fator primordial para iniciar a carreira profissional. Estamos felizes e confiantes em proporcionar uma medicina voltada para a saúde com os melhores professores, além de laboratório de habilidades e práticas na comunidade e nos consultórios existentes em nossa região”.

Texto produzido em: 25/07/2019