Nos dias de folga existem duas coisas que mais gosto de fazer, a primeira é ir à praia e a outra é assistir um filme para relaxar e ficar embaixo das cobertas. Nesses últimos dias de frio aqui no Rio, onde não tínhamos praia, fiquei com a segunda opção. Acabei assistindo um filme que vi a muito tempo atrás chamado “Do que a mulheres gostam”, uma comédia romântica com Mel Gibson e Helen Hunt, onde os dois são publicitários, ele extremamente machista e ela chefe da agência de publicidade. Na história a personagem da Helen Hunt quer entrar no mercado de produtos femininos e assume a nova função dando um desafio para os funcionários da agência, eles teriam que criar campanhas para itens destinados às mulheres. Agora, como um publicitário machista poderia fazer uma campanha de sucesso para produtos femininos? Hahaha!, no desenrolar da história, ele misteriosamente começa a ler os pensamentos das mulheres e descobre do que elas gostam e do que elas não gostam, e com essa informação ele ajusta sua maneira de fazer suas campanhas e acaba atingindo o seu público-alvo, além de mudar sua percepção em relação as mulheres. É um filme super leve para quem não quer pensar demais nos dias de folga, mas como amo o que faço, acabei pensado, e se eu pudesse ler os pensamentos dos meus clientes ou futuros clientes. 

Já imaginou que fantástico seria se você pudesse ler os pensamentos do seu público-alvo e descobrir o que eles pensam sobre o seu produto e/ou serviço, entender o que está funcionando e o que não está funcionando, fazer os ajustes necessários para suprir as necessidades dos seus clientes. É minha gente, ainda não conseguimos ler mentes, e acredito que teremos um futuro longo para esse momento chegar, enquanto isso, temos algumas ferramentas que podem nos ajudar a decifrar esse mistério e ajudar as empresas a entender seu público-alvo e encontrar a melhor maneira de se comunicar com ele.

Três ferramentas são essenciais para conseguirmos decifrar seu público-alvo: A segmentação de mercado, criação de personas e mapa de empatia que darão um panorama e o caminho de como falar, o que falar e como encontrar seu público-alvo.

A segmentação de mercado é um conceito fundamental para o marketing, onde alocamos o público-alvo em grupos de forma que cada um deles sejam relativamente homogêneos quanto ao perfil das necessidades. Dessa maneira sua empresa conseguirá realizar ofertas eficientes para cada tipo de segmento, além de outros benefícios como, ter insights sobre o mercado, consumidores e concorrência, definir uma visão mais clara sobre as estratégias de mercado, identificar as oportunidades dos segmentos, criar melhores ofertas para gerar uma melhor satisfação e lealdade dos clientes. Para sua empresa conseguir realizar a segmentação de mercado é necessário utilizar duas ferramentas, as Personas e o Mapa de Empatia.

As Personas, ou avatares ou perfis são um desdobramento da definição do público-alvo, quando falamos de público-alvo estamos definindo grupos de consumidores de uma maneira mais abrangente, como por exemplo, uns dos públicos-alvo de um Nutrólogo X são mulheres de 28 à 35 anos, que trabalham, com renda entre 3 à 8 mil, que gostam do verão, moram na região Sudeste do Brasil e vão à praia. Da definição do público-alvo criamos as Personas, que são perfis de clientes ideais que podem vir a consumir seu produto e/ou serviço. A construção desses perfis se dá através uma pesquisa profunda dos seus clientes, com o objetivo de criar um relacionamento direto com a Persona e entender suas necessidades e encontrar a melhor maneira de se comunicar com ela. Seguindo o exemplo do público do Nutrólogo X, temos uma definição de uma persona, Luísa, 31 anos, solteira, trabalha em Banco, mora no bairro da Pelinca, em Campos dos Goytacazes (RJ). O salário de Luísa é de 5 mil reais. Como trabalha de segunda à sexta, ela vai à piscina nos finais de semana e na praia no verão, adora comprar moda-praia na internet, segue blogueiras de moda e tem necessidade de ter o corpo sempre em forma e busca melhorar sua qualidade de vida durante o ano. Observem que definimos um público mais abrangente, o público-alvo, depois detalhamos mais as informações com as personas e para enriquecer esses dados utilizamos o mapa de empatia. O mapa de empatia tem como objetivo coletar informações mais comportamentais, como: 

  1. O que ele vê? (Quais programas de TV, Quais redes sociais, Sites da internet, Jornais, Pessoas, O que acontece diante dos olhos dele),

  2. O que ele pensa? |(Ele está feliz, Está triste, O que ele pensa da vida, Do futuro e das notícias de jornal), 

  3. O que ele ouve? |O que as pessoas falam para ele, O que ele ouve no rádio e no dia-a-dia em geral), 

  4. O que ele fala? |O que ele fala para as pessoas, Ele faz o que fala e Sobre quais assuntos ele fala), 

  5. O que ele faz? | Quais atividades ele faz, O que ele faz no dia-a-dia e Como é a vida dele), 

  6. Quais são as dores dele? | (De que ele reclama, Quais problemas ele tem e Quais insatisfações e frustrações) 

  7.  Quais as necessidades e desejos? | O que ele quer, Quais são os sonhos dele, O que é sucesso para ele e O que o faz feliz).

Então, o que as mulheres gostam?, o que os homens gostam?, o que seu público-alvo gosta?, a resposta para essas perguntas vem através de um conjunto de técnicas, ferramentas específicas, análises e clareza dos processos do negócio, pois ainda não existe app para ler mentes. Com uma refinada análise de dados temos como definir a melhor maneira de como falar com seus consumidores, como retê-los e fidelizá-los.

Se quer saber como estudar o seu público-alvo entre em contato com a gente. Vamos conversar! https://www.influensbr.com/contate-nos ou (21) 97195-0660 - Marcelo Soares

Até Setembro 😊

Marcelo Soares