O judiciário ocupa um lugar de prestígio no imaginário brasileiro. Quantos jovens, por exemplo, não sonham em se tornar advogados ou juízes? Isso explica porque o Direito é um dos cursos mais procurados do país. Mas não significa, necessariamente, que o mercado receberá uma grande quantidade de profissionais bem formados ao fim de cada curso. As mais recentes provas da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) bateram recordes de reprovação, demonstrando como a qualidade do ensino pesa no preparo do aluno.
A Faculdade Redentor conhece bem essa realidade. É só olhar os resultados da instituição: o Curso de Direito da Redentor alcançou o Enade 5, nota máxima na avaliação do MEC, o que faz dela a melhor do Estado e a 6ª melhor do país, segundo o Ministério da Educação. Além disso, foi o curso que mais aprovou alunos no XX EXAME DA OAB (2016) no Estado do Rio de Janeiro, ficando em quarto colocado entre os cursos de Direito que mais aprovaram no Brasil, conquistando um índice de aprovação próximo a 80%. Um feito.
Para falar dele, procuramos a Dra. Danuza da Silva Crespo Bastos, coordenadora do Curso de Direito da Faculdade Redentor de Campos e professora do curso de Direito da Faculdade Redentor de Itaperuna. Nesta entrevista, ela explica como a instituição entrou na vanguarda do ensino de Direito na região e o que o aluno pode esperar da Redentor para obter o tão sonhado sucesso profissional. Vale a pena conferir.
Mania de Saúde – Como você avalia o sucesso do curso de Direito da Redentor hoje, não só em Campos, mas também em Itaperuna? 
Dra. Danuza Crespo –
O Curso de Direito da Faculdade Redentor apresenta uma proposta pedagógica distinta de todos os outros cursos existentes em Itaperuna e Campos dos Goytacazes, apresentando ao discente um Direito interpretado a partir de uma filtragem hermenêutica constitucional. A implantação e execução de um projeto dessa magnitude exigem dedicação e acompanhamento constante por parte do coordenador e dos professores que compõem o núcleo docente estruturante do curso. Elas são efetivadas através de reuniões periódicas ao longo do semestre letivo. Aliado a esse projeto diferenciado, temos um corpo docente responsável, experiente e qualificado, composto por pessoas com vivência acadêmica e prática jurídica. Esse é o diferencial: um projeto pedagógico inédito desenvolvido por profissionais capacitados. O resultado do último Enade divulgado pelo MEC e do ranking de aprovação na OAB demonstram que nosso trabalho vem sendo bem realizado e, consequentemente, bem avaliado. O Curso de Direito da Faculdade Redentor recebeu nota 5 no Enade e tem índice de aprovação na OAB superior a 77%. E, com esses dois indicadores, atualmente é o Curso de Direito mais bem avaliado no Estado do Rio de Janeiro e um dos seis melhores do Brasil. 
Mania de Saúde – Olhando para o tempo em que a Sra. foi aluna e os estudantes de hoje, quais foram as mudanças no ensino do Direito? Quais são as vantagens e desvantagens da área? Que habilidades e competências são mais exigidas?
Dra. Danuza Crespo –
São diversas as mudanças. Ao meu sentir, a maior delas diz respeito ao acesso à informação em tempo real que a internet proporciona. O aluno hoje pode acompanhar a aula do professor em Campos dos Goytacazes e, ao mesmo tempo, ter acesso a um julgamento que acontece naquele instante num Tribunal Superior em Brasília, bastando ter em seu poder um smartphone, um computador portátil ou similar. Essa rapidez na busca pelo conhecimento gera maior concorrência e exige do aluno maior dedicação, além de muitas horas de estudo. Quanto às vantagens e desvantagens do Curso de Direito, elas são ilimitadas, devido às possibilidades de atuação em diversas áreas. Estudar Direito abre um leque de oportunidades não encontrado em outros cursos de graduação. O Direito não é uma ciência exata. Partindo desse princípio, podemos estudar essa ciência de várias formas, permitindo o desenvolvimento por caminhos muito distintos. Nessa seara, buscamos mostrar para nossos alunos, desde o início, que o Direito não é um curso fácil e a dedicação ao estudo será primordial para que o aluno alcance bons resultados na sua futura vida profissional. O ingresso nas carreiras jurídicas e seu desempenho, bem como o exercício da advocacia exigem do operador do Direito constante atualização, estudo, tenacidade, altruísmo e comprometimento com a causa que irá atuar, razão pela qual o estudante, desde os períodos iniciais, já perceberá a importância do estudo do Direito como algo que não pode ser considerado secundário em sua vida, visando alcançar bons resultados no futuro. 
Mania de Saúde – A proeminência do judiciário, hoje, influencia a decisão do jovem buscar o Direito?
Dra. Danuza Crespo –
Ser juiz, promotor, delegado ou advogado faz parte do imaginário infanto-juvenil, talvez por se apresentar sob a chancela de um símbolo de poder ou status social, quase um “super-herói”. O Judiciário sempre foi proeminente e alcançar um de seus cargos próprios ou correlatos sempre influenciou o jovem a buscar o curso de Direito. Por certo, nos últimos anos, temos visto uma maior apresentação na mídia da atuação dos órgãos do Poder Judiciário, das inúmeras operações da Polícia Federal, do atuar de Procuradores e Promotores de Justiça, do trabalho intenso de advogados, mas não atribuo a essas situações o poder de influenciar na decisão da escolha pelo curso de Direito. O jovem se decide pela área ao vislumbrar maior oportunidade de atuação profissional diante das diversas carreiras que poderá trilhar. 
Mania de Saúde – A prova da OAB continua sendo o grande temor dos alunos? 
Dra. Danuza Crespo –
A prova da OAB, ao meu sentir, não apresenta grau de dificuldade tão intenso como muitos estudantes relatam. É uma prova muito bem elaborada e, na primeira fase, abrange todas as disciplinas estudadas ao longo do curso de Direito. O aluno de um curso sério e comprometido não encontrará dificuldade em grau exacerbado para realizar esse exame da OAB. Acredito que o alto índice de reprovação não está relacionado à dificuldade da prova, mas ao despreparo do aluno. E este, enquanto não alcançar um mínimo de conhecimento do Direito, não pode estar apto ao exercício da advocacia. O advogado exerce papel ímpar na defesa do direito do indivíduo e da própria sociedade. Para tanto, precisa estar tecnicamente preparado, recebendo a sua carteira profissional após aprovação em avaliação feita por sua entidade de classe. Nosso índice de aprovação na OAB, como já mencionado, é um dos melhores do Brasil. Portanto, acredito que o Exame da OAB deve ser encarado como uma comprovação que aquele aluno recebeu todos os ensinamentos imprescindíveis, basilares para o exercício da advocacia e não como uma prova devastadora e de difícil aprovação.

Texto produzido em: 25/05/2017