No verão, chama atenção às queimaduras solares provocadas pela exposição prolongada ao sol, principalmente entre às 10 - 16h.  Há de se lembrar que a melhor prevenção é a aplicação de fotoprotetores 30-40 min antes da exposição solar, e a reaplicação do mesmo a cada 2h, principalmente se a pessoa entrar em contato com a água ou transpirar. 
Outra queixa comum é o surgimento de manchas escuras residuais, tipicamente no dorso das mãos e dedos, após manuseio com frutas cítricas, a exemplo o limão, seguido de exposição solar - as chamadas fitofotodermatoses. É preciso lavar exaustivamente as mãos após contato com esses alimentos,  ou mesmo usar luvas para manuseados. 
As manchas conhecidas como “pano branco “(pitiriase versicolor) também são mais frequentes no verão.  Tais manchas são causadas por fungos que liberam um ácido, deixando a pele de tonalidades variadas. Após a exposição solar, devido ao bronzeamento da pele, as manchas se destacam, tornando se visíveis.  Por isso,  muitas vezes, são relacionadas com à ida à praia, sendo chamadas de “micoses de praia”.
O herpes labial é causado por vírus e comumente ocorre após exposição solar intensa, devido à diminuição da imunidade. 
Já a “brotoeja” (miliaria) afeta principalmente as crianças, e é causada pelo aumento da sudorese tipicamente no tronco e região cervical  (pescoço). Recomenda-se o uso de roupas leves e ambientes climatizados.  

Texto: 05/12/2016