Nesta edição, vou abordar dois exames que mais atendem os pediatras, nefrologistas e urologistas na prática clínica.
A Cintilografia Renal estática e quantitativa (ou com índice de quantificação) é um exame de medicina nuclear que visa avaliar a função tubular, morfologia e córtex funcional. Utilizado em diferentes indicações clínicas como: hidronefroses, refluxos vesicoureterais e infecções urinárias de repetição, para avaliar se há cicatrizes ou queda da função tubular. O radiofármaco mais utilizado é o DMSA marcado com tecnécio 99mtc, cuja concentração se dá nas células do túbulo proximal renal. Sua biodistribuição após 3 hs é somente no córtex renal, por isso a dose utilizada é bem baixa. Rins preservados apresentam captação homogênea: rins alterados apresentam captação heterogênea, reduzida e com cicatrizes corticais.
Cintilografia Renal Dinâmica (com ou sem prova diurética).
Estudo dinâmico com etapa de fluxo e renograma, onde utilizamos traçador glomerular – DTPA marcado com Tecnécio 99mtc. Muito utilizado para avaliar a função glomerular nos hipertensos, diabéticos e nas hidronefroses etc.
Crianças, idosos, renais crônicos e Transplantados podem realizá-los sem contraindicação.

 

* Dra. Cíntia Carvalho Ribeiro Gonçalves - Médica Nuclear, responsável técnica da Cintilog Diagnósticos, Membro Titular da Sociedade Brasileira de Medicina Nuclear e Colégio Brasileiro de Radiologia.