Ainda existe um mito muito grande de que a gestante não pode fazer nenhuma atividade física e que deve passar os 9 meses de gravidez apenas em repouso. No entanto, com a devida liberação do médico, a futura mamãe pode, sim, se exercitar. Para explicar isso, fomos até o Studio Ativa Pilates e conversamos com a fisioterapeuta Nathália Miranda. Ela conta como os exercícios para as gestantes funcionam. 
“Após a liberação médica, qualquer gestante pode fazer o Pilates. É necessário ressaltar isso porque cada gestante tem as suas particularidades. Não havendo nenhuma intercorrência gestacional, a liberação geralmente acontece após três meses de gestação. Os exercícios de Pilates são trabalhados de acordo com o objetivo de cada gestante. Podemos, por exemplo, auxiliar aquelas que buscam o parto normal, com exercícios para ajudar no encaixe do bebê e fortalecer o assoalho pélvico, que é necessário até para a gestante que vai fazer o parto cesáreo, pois essa musculatura fica comprometida pelo peso da barriga e do feto, sendo necessário trabalhá-la durante toda a gestação. O Pilates feito de forma correta auxilia também na prevenção da diástase abdominal e ajuda no retorno do corpo após o parto. Os benefícios do Pilates são: alívio das dores na coluna (principalmente a lombar), melhora da circulação corporal, redução do inchaço e melhora da respiração. Ele ajuda também na disposição da gestante, previne a incontinência urinária no pós-parto e fortalece o músculo do abdômen. Isso porque, com os exercícios corretos, conseguimos ativar a musculatura profunda e, assim, prevenimos a diástase abdominal. Trata-se, portanto, de um trabalho que fortalece a musculatura do corpo e do assoalho pélvico, algo muito benéfico para a gestante porque, quando ela está ativa, promove estímulos para o bebê na barriga. Alguns estudos, inclusive, apontam que quando a gestante mantém atividade física regular, o bebê responde a esse estímulo. Então, é muito importante a mamãe se manter ativa nessa fase, pois os benefícios serão para ela e para o bebê também”. 
Monique Potengy é uma futura mamãe que tem sentido esses benefícios do Pilates. Ela comenta a experiência. “Eu já fazia Pilates quando morava em outra cidade. Após engravidar, comecei a buscar espaços que tivessem algum trabalho com gestantes e cheguei ao Ativa Pilates. A gravidez traz diversas mudanças no organismo da mulher e consequentemente gera algumas repercussões negativas. Então, procurei o Pilates como forma de prevenir algumas delas e me preparar para o parto. Posso observar que tenho estado mais bem-disposta, pois melhorou a minha flexibilidade e a minha postura conforme a barriga cresce, amenizando as dores nas costas, além de auxiliar no controle da respiração”, disse. 
Nathália fornece, por fim, algumas orientações quanto ao pós-parto. “Após a quarentena, com a liberação médica, a mãe pode voltar a sua atividade. Essa fase do pós-parto também é muito importante e deve ser vista com muito carinho pelo profissional, pois iremos trabalhar para ajudá-la a voltar ao seu corpo, dando tônus para a musculatura do abdômen. Será um trabalho específico porque a atividade errada, nessa fase, pode causar a diástase abdominal. No Studio, trabalhamos com o programa Mommy Baby, onde a mãe leva o seu bebê para fazer exercício junto com ela, proporcionando um retorno mais rápido e aumentando ainda mais o vínculo mãe-filho”, revelou Nathália. “Temos ainda um programa de exercícios voltados para a mãe no pós-parto, além do treino muscular do método Low Pressure Fitness, que é a técnica da barriga negativa, para o retorno do abdômen ser ainda mais rápido, o que é um outro diferencial do Ativa Pilates”.

Texto produzido em 15/07/2019