A primeira visão é a da Basílica, grandiosa, a segunda maior do mundo, menor apenas do que a Basílica de São Pedro, no Vaticano. Depois é a hospitalidade de um povo simples, religioso, que em sua maioria trabalha em prol dos visitantes. Em seguida é um clima de paz em qualquer ambiente, desde a chegada até a partida. Por fim é a fé de tantos fiéis saudando o motivo principal da visita: Nossa Senhora Aparecida.
Este é um resumo do que sente o visitante de Aparecida do Norte, em São Paulo. Mesmo as pessoas sem tanta intimidade com a religião acabam se surpreendendo com a grandiosidade da Basílica, com as obras realizadas para os romeiros e, principalmente, com a fé dos 12 milhões de pessoas que passam por lá anualmente.
Mesmo em um ano de dificuldades financeiras, o Santuário Nacional não viu seu movimento cair. Nos finais de semana, é comum que mais de 100 mil pessoas visitem Aparecida. O número quase dobra em 12 de outubro, Dia da Padroeira. Grande parte do público, entretanto, ainda desconhece o Santuário. Mas muitas pessoas sonham em fazer essa viagem, que é simples de realizar. 
Quem parte do interior fluminense, deve pegar a BR 101 em direção ao Rio de Janeiro. Chegando à capital, deve seguir pela Linha Vermelha até chegar à Via Dutra, em direção a São Paulo. É preciso se preparar para os pedágios, sobretudo na Via Dutra, que costuma cobrar mais caro, porém com a estrada inteiramente duplicada, em bom estado, sinalizada e com apoio em diversos pontos estratégicos. Do Rio até Aparecida, a distância é de 263 km. A média de gastos com pedágio (ida e volta), segundo turistas, é de R$ 110,00.
 Chegando a Aparecida, é importante entrar à direita apenas quando o motorista avistar a Basílica (há uma entrada anterior que pode alongar o percurso). Em Aparecida, a maioria dos hotéis e pousadas fica ao redor do Santuário. Mas é importante fazer as reservas pela internet ou pelo telefone. Os preços variam entre R$ 60 a 120 a diária. Mas é possível fazer pacotes ou conseguir preços ainda mais baixos, de acordo com a acomodação.
Como todo o turismo gira em torno da Basílica, o visitante não precisa se preocupar com deslocamento. O Santuário possui toda a infraestrutura de banheiros, lanchonetes e restaurantes que, em geral, são baratos. É possível almoçar bem gastando apenas R$ 10 ou 15. Há também toda uma estrutura de atendimento médico, resgate, informações, guias etc.
No mais, basta o visitante se informar sobre os atrativos da Basílica (há diversos folhetos espalhados pela cidade), acompanhar as missas e, o mais importante, ir até a imagem original de Nossa Senhora Aparecida, ponto máximo da visita ao Santuário Nacional – que, segundo o jornalista Rodrigo Alvarez, é, no Brasil, o “lugar mais próximo do céu”.

 

Capital da fé!

O turismo brasileiro oferece diversas opções de destinos religiosos que atraem visitantes de todo o mundo. De acordo com levantamento realizado pelo Ministério do Turismo, existem 96 atrações religiosas distribuídas em 344 municípios brasileiros. A cada ano, aumenta o número de visitantes impulsionados a conhecer pontos turísticos e celebrações religiosas. 
Dados do Ministério do Turismo, de 2014, apontam que cerca de 17,7 milhões de brasileiros viajaram pelo país motivados pela fé. Um dos principais destinos do turismo religioso no Brasil é Aparecida do Norte, no interior de São Paulo, que recebe mais de 12 milhões de peregrinos por ano. É onde está o Santuário Nacional de Nossa Senhora Aparecida, padroeira do Brasil, um dos maiores templos católicos do mundo. Uma imagem da santa, de 29 centímetros, é a principal atração do local, considerado a capital das romarias.
É comum nesta época do ano excursões de vários lugares do Brasil com destino para a “capital dos católicos” no país. De Campos, partem dezenas de ônibus levando fiéis e devotos de Nossa Senhora Aparecida. O Mania de Saúde registrou a ida de alguns deles para a cidade no interior de São Paulo no final do mês passado.
“Tem quem vai pela primeira vez para conhecer o local, tem os que vão todo ano para cumprir alguma promessa, mas todos vão motivados pela fé. É uma viagem que retornamos com a espiritualidade renovada e que engrandece qualquer pessoa religiosamente”, declara a organizadora da excursão, Zuleika Nani.
Entre os passageiros, a técnica em enfermagem Rose Gomes, de 58 anos, estava animada para conhecer a cidade e o Santuário de Nossa Senhora Aparecida. “Sempre tive o sonho de ir lá, de ver de perto tudo que acompanho pela televisão. É uma emoção única e que enche o coração de alegria. Estou indo agora pela primeira vez, mas já vou querer voltar outras vezes”.
A movimentação de turistas em Aparecida do Norte deve crescer ainda mais. Isso porque a imagem Peregrina de Nossa Senhora Aparecida percorrerá diversas cidades até 2017, quando será celebrado os 300 anos do encontro da imagem da Padroeira do Brasil nas águas do rio Paraíba do Sul.
O Papa Francisco, inclusive, deve confirmar visita ao santuário em outubro do próximo ano. Os preparativos para o jubileu de 300 anos do aparecimento da imagem de Aparecida no rio Paraíba do Sul já começaram. A ideia é que a cúpula central da Basílica seja revestida por cinco milhões de pequenas peças, que formarão um imenso mosaico de dois mil metros quadrados. O desenho da obra de arte, do artista plástico Cláudio Pastro, retrata a beleza da criação e remete aos peregrinos que visitam Aparecida para renovar a fé.

 

Devoção a Nossa Senhora Aparecida

Nossa Senhora Aparecida é a padroeira do Brasil e a sua festa é celebrada no dia 12 de outubro. O Mania de Saúde ouviu o padre Márcio Ribeiro sobre a importância de Nossa Senhora para os católicos, especialmente os católicos brasileiros.
A virgem Santa, mãe de Jesus Cristo, apareceu em diversas localidades ao redor do mundo em momentos importantes da história. No Brasil, a aparição da imagem foi em 1717, época das Capitanias Hereditárias. O governante das capitanias de São Paulo e Minas de Ouro estava de passagem pelo Vale do Paraíba. Animados com a visita, o povo da localidade resolveu fazer uma festa de boas-vindas e para isso chamaram três pescadores, Domingos Garcia, João Alves e Filipe Pedroso, para garantirem a fartura na mesa. O fato era que, naquela época, meados de outubro, não era tempo de peixes. Porém, como não podiam contradizer o pedido, rezaram pela proteção e benção da Virgem Maria e de Deus para que pudessem voltar à terra firme com fartura. Depois de inúmeras tentativas sem sucesso, eles pescaram o corpo de uma imagem e, em seguida, a cabeça, que se encaixou perfeitamente ao corpo. Somente depois foi que os pescadores conseguiram encher o barco com peixes. 
A devoção pela Santa se propagou com a história dos pescadores. Primeiro nas casas, depois se construiu uma capela, depois uma basílica, até chegar ao Santuário Nacional de Aparecida.
“Nossa Senhora Aparecida é onipotência suplicante, não é deusa. Na religião católica adoramos somente a Deus. Nossa Senhora é aquela a quem pedimos intercessão. Na doutrina crista católica existem várias formas de culto: o culto de latria, que prestamos somente a Deus; o culto de dulia, que prestamos aos santos; e o culto de hiperdulia, que é a Nossa Senhora, um culto de veneração e pedido de intercessão. Nós a temos como alguém que serviu ao Senhor, que cumpriu a vontade do Senhor, que teve a maior honra da história da humanidade. Ela é filha predileta do pai, mãe do Cristo, esposa do Espírito Santo, porque Jesus foi concebido no ventre puríssimo de Nossa Senhora por obra e graça do Espírito Santo. Por tudo isso, Nossa Senhora é para nós algo de tão especial. Muita gente não entende essa valorização. A Igreja Católica não valoriza mais Nossa Senhora do que Cristo. Até porque Nossa Senhora é Cristo por Maria”, comentou o padre Márcio Ribeiro ao Mania de Saúde.
O padre destaca a importância do mês de outubro para os católicos, especialmente no Brasil. “É um mês dedicado a Nossa Senhora Aparecida e também a Nossa Senhora do Rosário. Aqui, na nossa paróquia, demos início ao novenário de Nossa Senhora do Rosário e teremos a festa no dia 7 com procissão, missa solene e café comunitário. As paróquias dedicadas a Nossa Senhora Aparecida aqui em Campos vão ter suas tradicionais festas voltadas para o Santuário Nacional da Padroeira do Brasil em Aparecida do Norte”, declarou Márcio, reforçando que a verdadeira capital da fé não é um lugar físico. “Aparecida do Norte é o coração pulsante deste nosso amor pela Virgem Maria, mas a verdadeira capital da fé é o coração de cada fiel. O seu coração é o centro do amor de Deus”.

Texto produzido em: 20/09/2016