Opinião do Editor

Ano

Que venha 2017!

Não posso cometer, aqui, a leviandade de comparar 2016 com 1968, mas posso dizer, sem medo de errar, que tivemos um dos anos mais ruidosos deste século, daqueles que não esqueceremos tão cedo. Se foi assim naquele final da década de 1960, que assustou o Brasil pela quantidade de acontecimentos definidores de nossa identidade, 2016 não fica muito atrás: tivemos o segundo impedimento de... (continua)

Poeta manuel bandeira

A humildade é uma Bandeira

A vida é didática. Quando iniciei no jornalismo, há uns 10 anos, me dediquei à área cultural. Fazia reportagens, mas houve momentos em que também escrevia artigos de opinião, em primeira pessoa, como este que você está lendo. Em um dos textos, decidi abordar a obra do poeta Manuel Bandeira. Um desastre, é claro. Mas hoje percebo o quanto ele me ensinou sobre o ato... (continua)

Index post

Os olhos são a lâmpada do corpo

Diz o Bauman que o mundo de hoje só aceita uma experiência se ela for registrada. Um vídeo, uma selfie ou até mesmo um áudio de Whatsapp substituíram a contemplação solitária dos acontecimentos, que nos enriqueciam muito mais a vida.  Mas eis uma cena que eu adoraria compartilhar se não tivesse acontecido bem antes do surgimento dos smartphones: estava num... (continua)

Geneton

Ao mestre, com carinho

Quem conhece jornalismo se lembra da famosa reportagem de Gay Talese sobre Frank Sinatra. Se você desconhece, vale a pena contar: em 1966, o jornalista norte-americano publicou, na revista Esquire, um perfil definitivo sobre Frank Sinatra que, até hoje, desbanca muitas biografias sobre o cantor. A começar por uma peculiaridade: Talese não trocou uma palavra com ele, nem com sua família.  O... (continua)

Leandro karnal

O mais estranho dos países

Paulo Mendes Campos conta uma história curiosa em seu “O mais estranho dos países”. Uma repórter alemã visitava o Brasil e queria entender a natureza do nosso jeitinho brasileiro. Paulo mostrou o que era isso.  Entrou no primeiro comércio, chamou o proprietário e falou que a alemã precisava evitar a prisão do pai na Alemanha Ocidental (sem mesmo saber o que... (continua)

O reading pile of books facebook

Vamos ler?

Felipe Neto é um dos produtores de conteúdo para internet mais bem-sucedidos do país. Tem 28 anos, um canal no Youtube com mais de 5 milhões de inscritos, é ator, roteirista, empresário e arrasta uma multidão de jovens para seus monólogos. Eles absorvem as opiniões de Felipe como se tomassem um copo d’água. Ainda bem que ele, num vídeo recente,... (continua)

Dra. adriana helena azevedo  o enfermeirobombeiro alex anderson e o motorista jenivaldo barrichelo

Minha primeira vez que não esquecerei

Que o trânsito, em todas áreas urbanas, está uma loucura não é novidade e nem segredo para ninguém, principalmente nas cidades com mais de 100 mil habitantes consideradas polos geoeconômicos estratégicos da importância de Campos e Macaé, no Norte Fluminense, e de Itaperuna, no Noroeste Fluminense. Parece que, nesta selva de pedra, todos são predadores do... (continua)

Ministra

O bacalhau, o jornalista e a moral

Quem tem visto cabeça de bacalhau por aí? Poucos privilegiados tiveram a experiência de ver a cabeça do bacalhau exposta à venda, já salgado, especialmente nos dias atuais, onde as novas armas mercadológicas investem em soluções tecnologicamente viáveis para o aproveitamento que vai desde as partes mais nobres como o lombo, até o cozimento da pele,... (continua)

Coluna sylvio

O meu amor é dimaior

Repetindo a velha e desgastada fórmula da receita de economia, governos federal, estadual ou municipal, cortam, sem nenhum pudor e generosamente a verba destinada à educação, justamente no momento em que a criminalidade infanto juvenil atinge patamares dos mais preocupantes no seio da sociedade brasileira. Não que apenas essa medida pudesse apagar de sua personalidade os traumas vivenciados... (continua)

85234 ext arquivo

Meu cartão de crédito, é uma navalha ...

Eu sempre me posiciono ao lado dos otimistas observadores quando o assunto é economia, até porque não sou da área, mas apenas um produtor convicto de que a força do trabalho honesto neste país sempre nos fez sair das piores crises já instaladas, como as que surgiram a partir de 1945, quando vim ao mundo. E foram muitas, mas jamais tão imorais e cínicas quanto essas, que... (continua)