Leucemia viral felina: cuide do seu gatinho

  • Post author:
  • Post category:Notícias

Talvez você já tenha ouvido falar sobre essa doença, mas ainda não sabe muito bem como ela acontece. Mas não se preocupe que, nesta matéria, iremos te explicar tudo o que você precisa saber sobre a Leucemia Viral Felina, a FeLV.
Nossa reportagem conversou com a Médica Veterinária especialista em Medicina Felina, Dra. Juliana Braga, que esclareceu os principais pontos da doença. “A Leucemia Felina é uma doença viral altamente contagiosa que acomete gatos, infelizmente não possui cura e muitas vezes pode ser fatal. É importante ressaltar que não passa para humanos e cães. Seu contágio se dá através da saliva contaminada, mas também pode ocorrer pela urina, fezes, sangue e pela placenta da mãe contaminada para os seus filhotes. Os animais acometidos podem apresentar febre, apatia, falta de apetite, perda de peso, desidratação, falta de ar, aumento de linfonodos e a formação de neoplasias, como também uma série de outros sinais clínicos”, afirma Dra. Juliana.
A Médica Veterinária prossegue falando sobre como é feito o diagnóstico. “Ele é realizado através do teste rápido, onde utilizamos gotas de sangue do animal, e pode ser feito durante a consulta, levando apenas 10 minutos para termos o resultado, ou ainda através de exames mais específicos, como o PCR, já que a doença é complexa e tem várias fases. A única forma efetiva de prevenção é a identificação dos positivos (através do teste rápido) e a vacinação quíntupla dos animais negativos. A vacinação deve ser realizada em duas doses, sendo uma alternativa altamente eficaz para evitar a disseminação da doença. Infelizmente, na nossa região (Norte e Noroeste do Rio de Janeiro), principalmente Itaperuna, a quantidade de gatos positivos é muito grande e cada dia diagnostico mais animais contaminados nas consultas e essa situação precisa mudar! Sabemos que um dos principais erros dos tutores de gatos é achar que o felino não precisa ser vacinado nem testado e, com certeza, esse pensamento faz com que a quantidade de doentes aumente ainda mais, trazendo dor, sofrimento e angústia para essas famílias. Aí você, tutor de gato, pode estar se questionando: ‘Mas Doutora, meu gato só fica dentro de casa, ele é extremamente saudável, por que vou querer descobrir sobre uma doença que não tem cura, a consulta é muito estressante para ele e ninguém da minha casa nunca vacinou os gatos? Será que realmente isso tudo é necessário?’. E eu, como Médica Veterinária que faço atendimento a felinos, te pergunto: seu gatinho foi adotado? A mãezinha dele era testada? Ele nunca teve contato com outros gatos? Nunca mesmo? Sua casa é telada? Será que nenhuma vez algum gato nunca entrou na sua casa para comer? Será que ele nunca precisou ou precisará ficar internado? Ele nunca dividiu a caixa de transporte com outro gato? Este desabafo que faço é para alertar todos os tutores de gatos, pelo menos da minha região, sobre o quanto nossos gatinhos podem ser expostos, lembrando que FeLV não tem cara e quanto mais cedo a doença for descoberta, maior a qualidade de vida desses animais. Agende uma consulta, tire suas dúvidas sobre a doença, faça o teste no seu gatinho, realize a vacinação e proteja seu felino”, finaliza Dra. Juliana.
O consultório de Medicina Felina da Dra. Juliana Braga é exclusivo para gatos e totalmente adaptado para recebê-lo evitando stress durante os atendimentos. O telefone para contato é o (22) 99881-4572 e o consultório fica na Rua Coronel Romualdo Monteiro de Barros número 367, Cidade Nova, Itaperuna.

A médica veterinária especialista em Medicina Felina, Dra. Juliana Braga