Um espaço completo para cuidar da Saúde Mental

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), nove em cada dez mortes por suicídio poderiam ser evitadas na atualidade. Enquanto isso, no Brasil, o número de mortes registrou um crescimento acentuado nos últimos anos, principalmente entre os jovens. Mesmo assim, o assunto segue silenciado e pouco discutido. Pensando nisso, o Mania de Saúde foi até a clínica Vila Verde, que tem feito um trabalho de excelência para Campos e região. Dirigida pelos médicos psiquiatras Dr. Cláudio R. Teixeira, Dra. Gabriela Dal Molin, Dr. Maurício Lobo Escocard, Dra. Lana Maria Pereira e Dr. Gabriel Escocard, a Vila Verde chama a atenção, este mês, para a importância do Setembro Amarelo, a campanha de conscientização sobre a prevenção do suicídio, tema ainda encarado como tabu no país. “Falar sobre o suicídio e sobre os sinais de adoecimento psíquico que podem levar a esse ato extremo é a melhor forma de esclarecer os riscos e auxiliar pacientes e famílias que convivem com o problema. Quando as pessoas conversam sobre suas tristezas e pensamentos suicidas sem se sentirem julgadas, têm mais facilidade para encontrar novas alternativas e seguir em frente. O desafio é cuidar das doenças mentais como cuidamos das outras doenças. Para que seja alcançado esse objetivo é necessário quebrar tabus e compartilhar informações”, destacam Dra. Lana, Dr. Cláudio e Dra. Gabriela, que, em nome da equipe, responderam outras questões importantes sobre o assunto para a nossa reportagem. Confira. Mania de Saúde – Como a clínica tem auxiliado o público nesse contexto? Dra. Lana, Dr. Cláudio e Dra. Gabriela – A clínica nasceu de um sonho de cinco psiquiatras em aprimorar a saúde mental no município, trabalhando não de uma forma isolada, dentro dos consultórios, mas em grupo, com uma equipe multidisciplinar, composta por profissionais altamente capacitados, como psicólogos, terapeuta ocupacional, educador físico e orientador em dependência química, acolhendo tanto o paciente com a doença mental, em sofrimento, quanto as próprias famílias. Trata-se, assim, de um espaço completo, com uma série de atividades terapêuticas, que vão propiciar um auxílio e uma melhora para esse paciente em crise, olhando-o sempre como um todo. Isso porque a Vila Verde dispõe de uma abordagem terapêutica diária, onde o paciente vai para a clínica, interage com a equipe e com os demais colegas, que estão em sofrimento como ele. Isso cria uma identificação muito importante, porque, muitas vezes, as pessoas têm vergonha de estarem nesse sofrimento. A partir daí, a gente consegue reorganizar a vida desse paciente, auxiliando tanto no processo medicamentoso, quanto terapêutico, além de ajudar os familiares, através do grupo de família, que cumpre um papel crucial nesse processo. Nosso objetivo, portanto, é ofertar muito mais do que uma ida a um consultório psiquiátrico, mas oportunizar condições terapêuticas mais favoráveis, até porque, muitas vezes, são pacientes graves, com depressão, transtorno de humor bipolar, esquizofrenias e histórico de tentativas de suicídio. A proposta da Vila Verde é acolher todos eles nesse momento. Mania de Saúde – Quais os fatores de risco e como identificar o paciente com ideação suicida? Dra. Lana, Dr. Cláudio e Dra. Gabriela – As causas são variadas, mas quase a totalidade dessas pessoas que se suicidam ou que tentam fazê-lo possuem algum transtorno mental. Dentre os principais transtornos observados, destacam-se a depressão na forma simples, a depressão na forma bipolar, a dependência química e a esquizofrenia. Está também relacionado ao suicídio doenças muito graves ou sem cura. É importante ressaltar que, hoje em dia, os números de tentativas de suicídio têm aumentado na população como um todo e, além disso, os adolescentes também se enquadram a essa realidade. Outra questão é a pandemia do coronavírus. Já existem estudos demostrando que ela tem corroborado para o aumento da taxa de suicídio. Então, além da pandemia causada pelo vírus, estamos passando por uma pandemia de doenças mentais, o que exige uma atenção ainda maior para o problema. Mania de Saúde – Como a família deve se portar e quando deve procurar auxílio? Dra. Lana, Dr. Cláudio e Dra. Gabriela – É muito importante que os familiares saibam que quem pensa em se matar, na realidade, tenta se livrar da dor, do sofrimento que, de tão imenso, parece insuportável. A pessoa que tenta suicídio pode ter dificuldade de pedir ajuda e de acreditar que pode ser ajudada. A família precisa ser proativa e acolhedora. Essas pessoas necessitam falar o que sentem, serem escutadas com atenção e compreendidas. O suicídio é um fenômeno complexo, de múltiplas determinações, mas saber reconhecer os sinais de alerta pode ser o primeiro e mais importante passo. A ajuda profissional deve ser buscada quando se observa a ocorrência desses sinais, como, por exemplo, o isolamento, a perda de interesse por atividades que a pessoa anteriormente gostava, alterações no sono, descuido com aparência, mudanças marcantes de hábitos e piora do desempenho na escola ou no trabalho. Também é importante ficar atento quando são ditas frases como “preferia estar morto” ou “quero desaparecer”, pois indicam necessidade de ajuda. Mania de Saúde – Alguma informação complementar? Dra. Lana, Dr. Cláudio e Dra. Gabriela – Funcionamos de segunda a sexta, das 8h às 17h, além de trabalharmos com os principais planos de saúde. Estamos sempre prontos para fazer o acolhimento das pessoas que estão em sofrimento, a fim de prestar um serviço de excelência, em um espaço a ser amplamente conhecido e utilizado em nossa cidade.