21 anos, portador de AME (Atrofia Muscular Espinhal) e um grande exemplo de superação e dedicação para todos ao seu redor. Fabrício Ferreira conta ao Mania de Saúde como lida com a limitação física, como enfrenta o preconceito, fala da paixão por motos e do trabalho como youtuber. Confira.
Mania de Saúde – Como surgiu seu interesse por motos?
Fabrício Ferreira –
Desde pequeno eu sempre fui apaixonado por motores: carros, motos, aviões e outros. Sempre que via uma moto ou um carro diferente eu ficava muito feliz e tentava registrar de alguma forma. Aos 15 anos me mudei de Nova Friburgo (cidade natal) para Bom Jesus do Itabapoana e tive a oportunidade de ir ao meu primeiro evento de motoclube. E foi paixão à primeira vista. Todas aquelas motos, cada uma com um estilo próprio. E eu também fui muito bem recebido pelos motociclistas que me tratavam como se eu fosse um deles, sem nenhuma diferença. A paixão por motos só aumentou depois disso. 
Mania de Saúde – Sofre com preconceito de alguma forma, seja pela deficiência ou por ser motociclista? 
Fabrício Ferreira –
Os membros de motoclubes e moto grupos, em sua maioria, não apresentam preconceito, me tratam como um deles, um irmão como a gente se chama, mas existem alguns que ainda têm preconceito e tentam te excluir. Sinto que as pessoas de fora dos motoclubes são mais preconceituosas. O preconceito delas vai além da minha deficiência. Muitos taxam o ambiente motociclístico de bagunça e de bando de desordeiros, não sei se pelo nosso modo de vestir ou se por ouvirmos o bom e velho rock, mas só quem vai a um evento e passa um tempinho consegue ver que é totalmente ao contrário! É um ambiente familiar e divertido. Eu sofro preconceito praticamente todo dia, mas o interessante é que, quando isso acontece perto dos irmãos motociclistas, eles automaticamente “compram a briga” para me defender.
Mania de Saúde – Tem se aventurado como youtuber. O que procura passar ao público através do seu canal?
Fabrício Ferreira –
Tento ser bem variado. Durante a semana eu foco no público gamer (outra grande paixão minha) e, nos finais de semana, posto ou um vídeo de um evento ou viagem que eu tenha feito, ou faço algum vídeo voltado para o humor, ou um vlog falando sobre alguma loucura que eu tenha feito na minha vida, ou sobre algum assunto que esteja em alta. Se a pessoa não gosta de jogos, é certeza de que vai gostar dos meus vídeos de humor. Sempre tento fazer as pessoas rirem com meus vídeos, pois não existe coisa melhor que arrancar um sorriso de alguém. 
Mania de Saúde – A limitação está na cabeça das pessoas. Isso você também procura dizer e passar para quem te acompanha?
Fabrício Ferreira –
Eu sempre tento mostrar isso no meu canal. Tenho um sonho de ter um canal grande no Youtube e poder me sustentar com meus vídeos e, talvez assim, poder conhecer o mundo. Se um dia eu conseguir pelo menos a metade disso, quero que as pessoas me olhem e pensem: ‘se esse cara, com essa deficiência que limita ele fisicamente, consegue lutar pelos seus sonhos com um sorriso no rosto, por que eu não posso também?’. Eu quero inspirar qualquer pessoa com uma limitação a não ter vergonha e a viver uma vida normal, podendo realizar grandes feitos. Estarei desempregado em junho e quero fazer meu canal crescer para poder me sustentar com os vídeos que produzo. 

Texto produzido em: 19/03/2018