A Comissão de Educação da Câmara dos Deputados aprovou proposta que garante assistência psiquiátrica e psicológica gratuita aos estudantes de Medicina e médicos residentes. A obrigação de dar o suporte recairá sobre as instituições às quais os residentes estão vinculados. A medida está contida no Projeto de Lei nº 10105/18, do Senado, de autoria da senadora Maria do Carmo Alves (DEM-SE). 
Para a presidente da Sociedade Brasileira de Pediatria, Dra. Luciana Rodrigues Silva, esse é um tema urgente e que deve ser foco do trabalho da defesa profissional da entidade. “Os jovens médicos, em especial os residentes, estão expostos a uma série de situações negativas que comprometem sua saúde e sua qualidade de vida. Cabe ao estado oferecer as condições para que possam atuar e se desenvolver como especialistas e profissionais”, ressaltou.
A relatora, deputada Dorinha Seabra Rezende (DEM-TO), recomendou a aprovação da proposta lembrando a incidência elevada de depressão e de pensamentos suicidas entre estudantes de Medicina. “A proposta pode contribuir decisivamente para evitar essas manifestações, de todo indesejáveis para os futuros médicos e para a sociedade em geral”, destacou. Segundo a deputada, garantir a saúde mental dos estudantes é iniciativa imprescindível de assistência ao estudante da educação superior. O projeto tramita em caráter conclusivo e ainda será analisado pelas Comissões de Seguridade Social e Família; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.
No curso de Medicina da UniRedentor esse suporte já é realidade há algum tempo, como conta a coordenadora do curso de Psicologia, Denise Mello. “O Centro Universitário Redentor manifesta seu apreço pela aprovação do Projeto de Lei nº 10105/18, sancionado pelo Senado Federal, que aprovou a assistência psiquiátrica e psicológica a médicos residentes e estudantes de medicina, mediante a alta incidência de transtornos depressivos, de ansiedade e ideações suicidas entre este público. De fato, recai sobre o jovem uma grande responsabilidade, desde o aprendizado dos conteúdos médicos até o contato inicial com o exercício da profissão pelo contato com os pacientes. Atento a essas características, o curso de medicina da UniRedentor já era contemplado com o serviço de apoio aos alunos oferecido pelo Departamento Casa (órgão institucional destinado à assistência aos estudantes universitários, que conta com equipe interdisciplinar composta de psicólogo, assistente social, psicopedagogo) que mantém uma linha de trabalho específica para alunos de medicina. No ano de 2018, implantou um serviço de atendimento psiquiátrico e psicológico no Caci, a fim de otimizar o trabalho que já era realizado. Para nós, da UniRedentor, a nova legislação vem demonstrar, mais uma vez, que estamos no caminho certo!”.

Texto produzido em 18/04/2019