O Dia Nacional de Prevenção e Combate à Hipertensão Arterial, celebrado em 26 de abril, busca conscientizar o público quanto aos riscos da doença que, só no Brasil, acomete mais de 30 milhões de pessoas. Não é por acaso, portanto, que a hipertensão arterial vem preocupando órgãos de saúde do país inteiro, sobretudo diante do fato de que apenas 10% dos hipertensos fazem o devido controle da doença.
Para abordar o assunto, o Mania de Saúde entrevistou o Dr. João Frederico Pohl, médico cardiologista da Clínica São Judas Tadeu, em Campos, que fez um importante apanhado sobre a hipertensão arterial e orientou como o público deve se comportar após o diagnóstico da doença. Vale a pena conferir. 


Mania de Saúde – O que o público precisa se atentar quando se fala em hipertensão?
Dr. João Frederico Pohl – 
A hipertensão é uma doença crônica. Mas ela pode ser controlada. É importante falar sobre a doença porque, além das possíveis complicações que ela pode ocasionar, o diagnóstico nem sempre é tão simples quanto parece. Em geral, ele consiste em uma primeira aferição em consultório. Depois de um determinado período, o cardiologista realiza uma segunda medição para confirmar o resultado, observando, nessas consultas, o histórico de vida do paciente. Existem também outros métodos de diagnóstico, como a Monitorização Ambulatorial da Pressão Arterial (MAPA) ou a Monitorização Residencial da Pressão Arterial o (MRPA), que são utilizados em casos específicos. O importante é que a hipertensão seja diagnosticada corretamente. Até porque o indivíduo fará uso de medicação pelo resto da vida. Já o tratamento pode variar conforme a idade e os fatores de risco da doença. 
Mania de Saúde – Quais são eles?
Dr. João Frederico Pohl
– A doença, muitas vezes, é referida como hipertensão essencial, ou seja, a gente não tem uma causa bem definida ou o motivo pelo qual fica hipertenso. Há o componente genético, mas também existem causas não hereditárias, como falta de atividade física regular, excesso de peso, má alimentação, consumo elevado de sal, uso excessivo de álcool e o tabagismo, não como elemento direto para a hipertensão, mas como um grande fator de risco para as principais doenças cardiovasculares, como AVC e infarto.
Mania de Saúde – Quais as complicações as pessoas podem ter se não fizerem o acompanhamento adequado?
Dr. João Frederico Pohl –
A hipertensão pode causar diversas complicações se não for controlada. Dentre elas, estão o infarto, AVC, doença renal, alterações cardíacas como hipertrofia ventricular, problemas oftalmológicos como a retinopatia hipertensiva, entre outras. É o que chamamos de lesões em órgãos alvo. São eles o rim, o coração e o cérebro, que vão sendo acometidos pela hipertensão arterial. Por isso ela é considerada uma doença silenciosa, pois vai surtindo efeito em todos esses órgãos sem que a pessoa saiba. Daí a importância do controle. 
Mania de Saúde – Como é o tratamento?
Dr. João Frederico Pohl –
Hoje, com o avanço da ciência, existem diversos medicamentos que facilitam o tratamento para cada caso. Mas ele não é apenas medicamentoso. Isso é importantíssimo ressaltar. Uma dieta equilibrada, aliada à atividade física e ao abandono de hábitos nocivos como o tabagismo e o álcool são essenciais para manter a hipertensão sob controle e garantir uma melhor qualidade de vida, sempre sob acompanhamento regular com o médico.

Texto produzido em: 22/03/2019