Atender bem o cliente é o grande objetivo de quem trabalha no comércio. Mas não é uma tarefa fácil. Basta, para isso, observar o número de consumidores que se queixam diariamente nos canais virtuais – ou nas conversas do dia a dia – de como foram mal atendidos em uma determinada loja. É nesse cenário que a gestão de pessoas faz a diferença. Ela pode aprimorar a experiência do comércio junto ao seu público-alvo e, assim, promover o melhor atendimento ao cliente.
A gerente do Instituto Beleza Natural, em Campos, Idalira Pimentel Libardi, vivencia esse desafio todos os dias. Ela, que tem MBA em gestão empresarial e faz MBA de gestão de varejo, é responsável por ministrar treinamentos e desenvolver as potencialidades de um grupo de trabalho formado por 80 colaboradores. “Quando você tem uma equipe, seja ela numerosa ou não, precisa ter em mente que cada pessoa tem a sua história de vida e isso influi no comportamento dela. O grande desafio é você desenvolver um trabalho que unifique o pensamento de todas essas pessoas para, assim, atingir os objetivos da empresa. Quando você faz essa junção, o resultado é o melhor possível. Afinal, toda a equipe vai estar unida em um só propósito, que é atender bem o cliente”, conta Idalira. 
Ela destaca como a formação profissional auxilia nesse atendimento ao consumidor. “O conhecimento técnico, adquirido em cursos, graduações ou pós-graduações, deixa você preparado porque lhe dá embasamento. Através dos textos e dos cases que a gente estuda, é possível vivenciar situações que, quando aparecem na prática, você já sabe como agir. Se não houver nenhum tipo de leitura ou conhecimento voltado para essa área, aquilo vai pegar a pessoa de surpresa. Ela vai acabar agindo por instinto ou da forma que agiria em casa. Mas você está numa empresa. Logo, há que se ter uma visão empresarial. Daí a importância dos cursos”, diz a gerente. 
Vinda de Vitória e integrando o Instituto Beleza Natural, uma rede de salões especializados em cabelos crespos e ondulados, que conta com 3.000 colaboradores e está há 24 anos no mercado, Idalira exemplifica sua atuação abordando a área estética. “Nesse período de recessão, o mercado estético foi um dos menos impactados, porque toda mulher é vaidosa. Ela não deixa de se cuidar. Se antes a cliente vinha fazer o cabelo todo mês, hoje ela aumenta esse tempo, mas não deixa de vir, porque faz parte da rotina dela. O mercado da beleza está em evidência. Mas o que diferencia é o atendimento. O cliente tem que estar, sempre, em primeiro lugar”.