Que o celular facilitou a vida na atualidade, ninguém tem dúvida. Entretanto, nem tudo são flores. Afinal, não é difícil encontrar alguém utilizando o aparelho enquanto está ao volante. De acordo com a Associação Brasileira de Medicina do Tráfego, a Abramet, o uso do celular ao volante já é a terceira maior causa de mortes no trânsito no país, com cerca de 150 mortes por dia.
Com dados internacionais, os engenheiros de trânsito da Abramet calcularam, por exemplo, que o motorista gasta entre 8 e 9 segundos para atender a uma chamada telefônica, entre ouvir o toque do celular, localizá-lo, pegá-lo, desbloqueá-lo e atender. A 80 km/h o veículo vai percorrer quase duas quadras sem que o motorista esteja atento.
Os grandes males que o celular causa para o condutor são: primeiro ele divide a atenção e concentração entre aquilo que está sendo falado ao celular e aquilo que acontece na via; a percepção periférica do ambiente do trânsito também fica prejudicada; e o tempo de resposta, de reação de um condutor frente a um obstáculo ou ao semáforo que fechou, também é afetado.
Uma pesquisa realizada pelo Centro de Tecnologia da Allianz, na Alemanha, revelou que 20% dos motoristas admitem escrever mensagens de texto ao volante, enquanto 30% ao menos as leem e 40% usam o celular sem o viva-voz. Por outro lado, aproximadamente 60% dos entrevistados consideraram o uso de telefone celular como uma das formas mais perigosas de se distrair no trânsito. 
Em Campos, dados do Instituto Municipal de Trânsito e Transporte (IMTT) confirmam que o uso do celular no trânsito é um problema. De janeiro a julho deste ano, mais de 20% das infrações foram relacionados à utilização do aparelho ao volante. Durante a Semana Nacional de Trânsito, o uso do celular ao volante foi um dos temas mais abordados pelos agentes de trânsito na hora de orientar os motoristas.
No ano passado, na tentativa de diminuir o número das infrações, o Conselho Nacional de Trânsito (CONTRAN) aumentou o valor da multa para quem dirige e usa o celular ao mesmo tempo. A mudança foi de infração média e multa de R$ 85,13 para gravíssima e multa R$ 293,47.

Texto produzido em: 22/09/2017