Provavelmente você já deve ter ouvido falar que, para não ter dor na coluna, precisa ter uma boa postura, dormir em um colchão confortável e se abaixar para pegar algo no chão de forma correta. Mas e o sono? Ele pode ter alguma relação com suas dores? 
Você já deve saber que, durante o sono, muitas coisas acontecem no seu corpo. Ele não para em momento algum, apenas diminui o ritmo para descansar. Durante a noite ou durante o tempo em que você dorme, portanto, seu corpo recupera as energias, regula o metabolismo, realiza a síntese de alguns hormônios e faz muitas outras funções. Por isso é importante ter uma noite boa e confortável para que seu corpo se recupere e você fique bem para o outro dia.
Mas lembrando que a qualidade do sono depende do conforto da pessoa em um colchão adequado. Isso é medido pelo número de movimentos que a pessoa faz ao longo de uma noite normal. Mas dois fatores podem afetar o conforto em um colchão e aumentar esses movimentos: as montagens de pressão aplicada em relação ao corpo e as características de suporte do próprio colchão. Isso porque, quando um sono saudável torna-se “desconfortável”, consciente ou inconscientemente, as pessoas se movem para aliviar o desconforto. Este desconforto pode vir de uma pressão excessiva no corpo ou suporte inadequado do produto.
“As dores de coluna afetam em tudo na vida das pessoas. O sono pode influir muito nesse problema. O indivíduo perde qualidade de vida e fica desgostoso com uma noite mal dormida”, comenta o médico neurocirurgião Dr. Paulo Romano, chamando a atenção para os modelos de colchões e travesseiros. “O colchão não pode ser nem muito mole e nem muito duro. Já o travesseiro precisa ter uma altura compatível com cada um e proporcionar uma posição adequada para dormir”.
Durante a noite, uma pessoa saudável geralmente passa por aproximadamente quatro a seis ciclos de sono. Todos os níveis de sono são importantes, mas é durante as últimas fases que o ser humano alcança o sono mais profundo e o mais repousante. Entretanto, quando há uma grande mudança postural, a pessoa desperta para um nível mais leve do sono ou até acorda.
Para ter uma melhor qualidade do sono e sentir menos dores de coluna, o neurocirurgião dá a dica: movimentar-se. “O melhor remédio é a atividade física. O corpo envelhece com o passar do tempo e deixá-lo parado só vai aumentar as dores. Envelhecer não é o problema, o problema é como envelhecemos. Quer dormir bem? Quer sentir menos dores? Quer ser mais feliz? Cuide do seu corpo! A melhora será física e mental”, conclui Dr. Paulo Romano.

Texto produzido em: 18/06/2018