Glauber Flaquer reforça crescimento do mercado pet no Brasil

O mercado pet está em franca ascensão no Brasil. De acordo com dados da Associação Brasileira da Indústria de Produtos para Animais de Estimação (Abinpet), o setor gera mais de três milhões de empregos, movimenta cerca de 15 bilhões de reais por ano e as famílias gastam, em média, 350 reais por mês com seus animais de companhia. Esses números fazem com que o país seja o segundo maior mercado consumidor de produtos e serviços pet do mundo, atrás apenas dos Estados Unidos.

Foi-se o tempo em que ter um animal de estimação representava apenas gastos com a ração. O mercado pet evoluiu e hoje oferece uma série de serviços ao ponto de lojas especializadas dividirem espaços com lojas de outros segmentos em shoppings. Ainda com base na pesquisa da Abinpet, o maior segmento ainda é o de Pet Food (alimentação), que representa 65,7% do setor. No entanto, Pet Serv (serviços) cresceu mais de 26% de 2012 para 2013, e hoje tem 19% desse mercado. O Pet Care (equipamentos, acessórios e produtos para higiene) equivale a 8,1% da receita e o Pet Vet (medicamentos veterinários), 7,2%.

Proprietário de duas lojas do segmento, o empresário Glauber Falquer conta que o mercado pet mudou ao longo das últimas décadas. “Antigamente lidávamos mais com criadores de gado, com rações e medicamentos para equestres e só vendíamos rações para cães e gatos. Hoje a situação é outra. Nosso foco é o mercado de cães e gatos, com produtos de higiene, acessórios e vários tipos de serviços, como tratamento estético, hotel e outros”.

Uma das explicações para o crescimento do setor está no número de animais. O Brasil é a quarta maior nação do mundo em população total de animais de estimação e o segundo em cães e gatos, com mais de 37 milhões de cães e 21 milhões de gatos. “Pesquisas revelaram que cerca de 80% dos brasileiros têm algum animal de estimação. E os donos desses animais o tratam como um membro da família, quase como um filho. Isso reflete nos gastos”, comenta Glauber, exemplificando. “Tem gente que gasta mais com o animal do que consigo mesmo, comprando coleira banhada a ouro, roupas e outros produtos que até pouco tempo seriam inimagináveis”.

Texto produzido em: 19/09/2014