Engana-se quem pensa que o trabalho da Sociedade Fluminense de Medicina e Cirurgia (SFMC) se restringe à área médica. Pelo contrário. Desde que surgiu, em 1921, a entidade sempre esteve preocupada, também, com a saúde e o bem-estar da população. Tanto que a SFMC deu vida, ao longo de sua história, a uma Policlínica, a uma Maternidade e a um Hospital Infantil, que muito atuaram em prol da comunidade e que, depois, foram incorporadas para a implantação da Faculdade de Medicina de Campos, em 14 de outubro de 1967, abrindo espaço para que o município se tornasse um polo de formação médica.
A SFMC tem, em seu escopo de trabalho, a missão de fomentar eventos científicos e campanhas preventivas que, respectivamente, enriquecem a atuação dos médicos e auxiliam na promoção de uma melhor qualidade de vida para as pessoas. Esse intento, aliás, ficou evidente este ano, considerado de grande sucesso pela Presidenta da SFMC, Dra. Vanda Terezinha Vasconcelos, que recentemente foi reeleita para o cargo. “Cada ano nos marca de maneira especial. No nosso primeiro mandato, por exemplo, tivemos o livro em homenagem aos médicos com mais de 50 anos de profissão, cujo lançamento reuniu 600 pessoas no prédio, incluindo muitos dos médicos retratados no livro, o que foi muito importante. Depois tivemos o XVII Congresso Médico de Campos, onde houve uma gama enorme de atividades científicas e culturais, com cursos, debates, conferências, lançamentos de livros e uma presença expressiva de médicos, acadêmicos de medicina e outros profissionais de saúde, além da comunidade. Isso nos deixou imensamente felizes. E, este ano, particularmente, realizamos novos eventos científicos e fomos ativos em diversas campanhas de saúde, culminando na participação da SFMC nas comemorações dos 50 anos da Faculdade de Medicina de Campos (FMC), cuja programação foi bastante extensa e também contemplou ações em prol da classe e da sociedade”, lembra Dra. Vanda. “Até porque a SFMC é a instituidora mãe da FMC. A história dela está diretamente ligada à entidade e por isso o evento foi tão importante”, acrescentou a presidenta, ressaltando que, no site da instituição (www.sfmc.com.br) é possível conhecer a história da SFMC e acompanhar os eventos realizados por ela. “Em 2017, discutimos a síndrome de burnout, a prevenção do suicídio, dentro do Setembro Amarelo, as campanhas para as mulheres no Outubro Rosa e, recentemente, a saúde masculina no Novembro Azul. A SFMC não para. A luta é sempre constante, em prol dos médicos e, sobretudo, da população”, finalizou.

Texto produzido em 19/11/2017