Quem nunca pronunciou a amplos pulmões, o doce nome mãe, e de pronto veio ela? Quando aquela gripe batia, a moleza vencia, ou até mesmo o coração partia, a mãe era o refúgio. A mãe que de maneira incansável cuida de nós, só de olhar, já sabe que estamos com problemas. Pois é, as mães sempre estão dispostas a cuidar de nós, nem que seja apenas com um abraço.
Às vezes, nós filhos, não sabemos como retribuir tanto zelo, como cuidar de quem tanto cuidou de nós. Outras, a correria do dia a dia, nos faz passar desapercebido que nossa heroína também é de carne e osso. 
Por isso, precisamos treinar nosso olhar para perceber os detalhes. Sinais sutis fazem toda a diferença na identificação de problemas oncológicos, e precisamos ficar atentos para cuidar de quem sempre cuida de nós. Sinais simples com os quais podemos acender um alerta sobre problemas oncológicos: A palidez da pele e das mucosas, pode ser sinal de anemia, que sempre deve ser investigada. Um sinal muito importante é o edema ou inchaço das pernas, principalmente assimétrico, pode ser sinal de trombose. A perda de peso, pode ser sinal de consumpção, por ser progressiva, ela é mais notada através das roupas que necessitam de apertos, ou cintos que mudam de furos. Os olhos e pele amarelados, também chamado icterícia, são pontos de atenção para alterações do fígado, pâncreas e vias biliares. O aumento desproporcional da circunferência abdominal, um sinal bem difícil de ser notado, pois o crescimento abdominal é lento; mas pode estar ligado a massas do Ovário ou doenças do peritônio (cavidade abdominal).
Essas dicas, mesmo que de difícil percepção, servem como alertas. Esses alertas podem nos chamar a atenção e detectar problemas, que às vezes passam desapercebidos, mas nos ajudam a cuidar de quem sempre cuidou de nós.