Gilberto disputou duas Copas do Mundo

 

Com duas Copas no currículo, Gilberto confia nos jogadores brasileiros na luta pelo hexacampeonato


O ex-jogador Gilberto, com passagem por vários clubes do Brasil, como Flamengo e Vasco, e também por clubes da Itália, Alemanha e Inglaterra, esteve em Campos no final do mês passado para visitar as novas instalações do
Americano em Guarus e iniciar as conversas sobre uma possível parceria da sua empresa com o Alvinegro campista.

Com experiência em Copa do Mundo – Gilberto disputou os Mundiais de 2006 e 2010 –, o ex-jogador falou ao Mania de Saúde, com exclusividade, o que espera da Seleção Brasileira para a competição iniciada neste mês de junho no país

“Assim como todo o brasileiro, vou torcer pelo título do Brasil, mas digo que não será fácil. A Copa do Mundo é uma competição diferente de tudo que possa imaginar. Só quem está lá dentro é que sabe e sente a atmosfera. A Seleção Brasileira está sendo muito pressionada por jogar em casa e pelas lembranças de 1950. O calor da torcida pode ser um grande diferencial”, comentou o ex-atleta de 38 anos, apontando os principais
rivais do Brasil. “Alemanha, Itália, Espanha e Argentina podem querer estragar a nossa festa. Todo mundo vai querer ganhar do Brasil jogando aqui”.

A confiança de Gilberto, que ganhou os títulos da Copa das Confederações de 2005 e da Copa América de 2007 com a Seleção Brasileira, tem nome e sobrenome: Luiz Felipe Scolari. “Não poderia existir pessoa melhor para comandar o Brasil nesta Copa. O Felipão já foi campeão mundial com a Seleção em 2002 e sabe o que vai ter pela frente. Além disto, ele conseguiu implantar um esquema de jogo que deu certo”.

O que deixa o ex-lateral apreensivo está bem longe dos gramados: os protestos da população durante o Mundial. Assim como a maioria dos brasileiros, Gilberto está preocupado com a questão da segurança nas 12 cidades-sede. “O povo tem todo direito de se manifestar de forma pacífica, mas vejo esses protestos como algo político. Muitos vão querer tumultuar e manchar a Copa do Mundo. Sabemos todos os problemas do nosso país, mas isso não vai mudar durante o mês do Mundial. Espero que tudo aconteça da melhor maneira possível e que a Copa seja um sucesso”.

 

Texto produzido em:22/05/2014