A estação mais quente do ano ficou para trás. Por isso, boa parte dos motoristas não sente mais a necessidade de ligar o ar-condicionado do carro todos os dias, sendo que alguns simplesmente abandonam o recurso até a chegada do próximo verão. Mas é preciso cautela, pois a ociosidade do ar-condicionado pode gerar uma série de prejuízos que, depois, pesarão no bolso do consumidor.
Quem dá a dica é o mecânico Gleidy Lino da Silva Monteiro, proprietário de uma oficina em Itaperuna, que destacou a importância de usar o ar-condicionado para evitar problemas de funcionamento. “É necessário que o motorista não abandone esse hábito e faça uso regular do sistema. Ligando uma vez por semana, durante 10 minutos, já é o suficiente para prevenir defeitos”, conta Gleidy, revelando o que acontece quando o ar-condicionado fica muito tempo parado. “A ociosidade provoca o ressecamento das borrachas e a condensação do próprio gás. O proprietário acaba tendo que vir à oficina repor uma certa quantidade de gás para que o equipamento volte a gelar. Ligar o ar-condicionado uma vez por semana durante 10 minutos irá manter a pressão do sistema, evitando o endurecimento das mangueiras e a falha dos vedantes do compressor. Isso sem falar na questão da sujeira. O filtro de partícula acumula sujidades e o que você economiza naqueles meses todos sem usar acaba gastando na manutenção. Quanto mais você usar, melhor ficar o sistema”, acrescentou. 
Gleidy frisa que, como qualquer equipamento, o ar-condicionado pode dar defeito pela sua vida útil, mas ela é expandida quando há esse cuidado e, também, quando o motorista faz a manutenção preventiva. “O ideal é realizá-la de seis em seis meses. A manutenção consiste na troca do filtro, na higienização e na análise da pressão do gás. Infelizmente, muitos condutores só vêm à oficina quando o carro dá o problema ou quando percebem uma falha. Mas se fizer uma revisão de seis em seis meses, o custo é mínimo e o veículo estará sempre em dia, podendo rodar dois, três, quatro anos sem dar problema no ar-condicionado”.
A manutenção preventiva, vale lembrar, deve ser feita não apenas para manter o ar-condicionado em bom estado de funcionamento, mas também para evitar problemas de saúde. Afinal, em um equipamento sujo, podem ser encontrados vírus e bactérias capazes de comprometer o sistema respiratório e fazer muitas pessoas sofrerem com sinusite, rinite, asma, bronquite e até mesmo pneumonia. Por isso, é essencial que o sistema de ar-condicionado passe por uma limpeza a cada seis meses. Esse processo deve ser feito independente da frequência de uso ou do tipo de equipamento porque, sem a manutenção adequada, fungos e bactérias podem se proliferar, atrapalhando a qualidade do ar e causando doenças.
Normalmente, a limpeza do ar-condicionado é feita nas revisões, que verificará as condições do filtro de ar, das grades, da tubulação e substituirá itens danificados. A limpeza conta também com produtos especiais para esse tipo de sistema, o que garante a qualidade do serviço e sua maior duração.

Texto produzido em: 15/04/2019