A dificuldade de aprendizagem é multifatorial. Pode ser de origem emocional, social, familiar ou mesmo orgânica. Ela acarreta desinteresse pelo estudo, reprovações e evasão escolar, trazendo impasses na vida do sujeito, de sua família e da sociedade. Quanto mais precocemente a dificuldade de aprendizagem for detectada e tratada, maiores serão as possibilidades de corrigi-las ou até mesmo superá-las. 
Para tratar do assunto, entrevistamos a neuropsicóloga Andreia Maciel. Ela afirma que a presença de dificuldade de aprendizagem em uma criança já dá indícios nos primeiros anos escolares, quando seu tratamento pode ser iniciado. “Entretanto, nem sempre é percebido tão precocemente. O mais comum é no processo de alfabetização, que exige das crianças demonstrações de aprendizagem de cálculo mental, escrita e leitura. Algumas dificuldades de aprendizagem podem ser consideradas devido ao desenvolvimento lento na capacidade de utilização e de manter a atenção concentrada. A investigação correta das causas da dificuldade de aprendizagem é realizada por meio da aplicação de testes neuropsicológicos e conhecimento do sujeito, de sua estória pregressa associada às queixas apresentadas no momento da entrevista”.
Ainda segundo Andreia, a avaliação neuropsicológica é indicada para casos em que hajam dúvidas em relação às dificuldades cognitivas ou comportamentais ou de origem neurológica. “O objetivo é evitar que as dificuldades surgidas impeçam o desenvolvimento saudável da criança. Algumas atitudes dos pais podem ajudar muito as crianças no desenvolvimento de suas habilidades básicas. Quando as crianças são encorajadas a aplicar essas habilidades na sua vida diária, isso ajuda a lidar com desafios e autonomia. Essas experiências tornam a aprendizagem significativa, o que auxilia o escolar a lidar com as novas informações na sala de aula”, finaliza Andreia. 

Como ajudar?

* Conversar com as crianças - Permitir que a criança expresse suas ideias e ajudá-la a colocar numa ordem coerente. A criança precisa lidar com a linguagem, o que irá favorecer as habilidades da leitura e da escrita.
* Ler para as crianças - Ler para as crianças aumenta o vocabulário, incentiva o interesse pelos livros e estimula o raciocínio. 
* Brincar com jogos - Jogos com palavras ajudam a construir habilidades de vocabulário. Outros estimulam a criança a planejar e a desenvolver estratégias lógicas. 
* Deixar que as crianças lidem com dinheiro - A mesada pode ser uma boa estratégia para a matemática. 
* Mostrar a criança como você usa suas habilidades básicas - Permitir que a criança veja como funciona seu trabalho, envolvê-los nas tarefas diárias, como fazer supermercado, calcular o consumo do combustível, planejar uma receita...
Esses são alguns aspectos diários e simples, mas, para a criança com problemas de aprendizagem, às vezes é um obstáculo. Mediante os impasses encontrados, não permita que o desânimo domine você e seu filho. Importante ainda não deixar que o fraco desempenho em leitura, escrita ou aritmética interfira no desenvolvimento intelectual da criança em outras áreas. 
Lembre-se que nossos cérebros continuam se desenvolvendo até o início da idade adulta. Muitas crianças param de aprender porque os adultos desistem ou deixam de ensiná-las.

 

Texto produzido em: 29/01/2017