Obesidade sempre gera dúvidas nas pessoas, especialmente entre os diabéticos. Para elucidá-las, ouvimos o especialista em Clínica Médica com pós-graduação em Medicina Ortomolecular, Dr. Cláudio Cola.
Mania de Saúde – O paciente diabético deve ter cuidado redobrado com o sobrepeso? Porque?
Dr. Cláudio Cola –
Com certeza. De um modo simples, o controle da glicemia ocorre da seguinte maneira: o pâncreas produz a quantidade de insulina exata para levar para dentro da célula toda a glicose que está no sangue e parte desta é estocada na forma de glicogênio no fígado. É esta reserva energética que permite que você “funcione” nos períodos de jejum. Se ingerimos muito açúcar, o pâncreas produz muita insulina e a capacidade de estocagem do fígado e de outros órgãos é ultrapassada. O excesso de glicose não é mais transformado em glicogênio e sim em gordura. Caso persista esta ingestão exagerada de açúcar, o nível de gordura armazenada se eleva, as células gordurosas aumentam de tamanho e perdem grande quantidade de seus receptores de membrana onde se ligaria a insulina para que essa gordura voltasse a ser consumida. Esta situação gera a condição metabólica conhecida como resistência à insulina, ou seja, o pâncreas precisa produzir cada vez mais insulina para conseguir reduzir o nível de glicose no sangue. E qual é a consequência disto? Com o tempo, o pâncreas entra em exaustão e se instala ou se agrava o diabetes. É muito comum a obesidade levar ao diabetes ou até mesmo agravá-lo, fazendo com que apenas a dieta não controle mais a glicemia e que tenham que ser incluídos os hipoglicemiantes orais ou até mesmo a insulina na terapêutica.
Mania de Saúde – É mais difícil para o diabético emagrecer?
Dr. Cláudio Cola –
De forma direta, outras patologias relacionadas a tireoide, ovários e intolerância alimentar atrapalham mais na perda de peso do que o diabetes. Na verdade, a relação do diabetes com a dificuldade em perder peso está atrelada à resistência à insulina, conhecida como um dos pilares da síndrome metabólica, que é uma rede complexa de alterações metabólicas e hormonais que provoca a obesidade, hipertensão arterial e importante adinamismo, perda de libido, queda de imunidade e até depressão
Mania de Saúde – O tipo de diabetes influencia no peso da pessoa?
Dr. Cláudio Cola
– Na verdade, um diabético que perde peso provoca o caminho inverso da resistência à insulina, ou seja, suas células de gorduras diminuem de tamanho, aumenta o número de receptores à insulina, o metabolismo da glicose melhora, a sobrecarga do pâncreas diminui e o controle do diabetes fica extremamente mais fácil. Ou seja, o controle do peso é fundamental no controle do diabetes e determina um esquema terapêutico mais ou menos complexo, além de um prognóstico mais favorável ou não.
Mania de Saúde – Que cuidados com a alimentação o diabético deve ter?
Dr. Cláudio Cola –
São dois cuidados básicos: evitar o ganho de peso, mas também é fundamental manter equilibrado o metabolismo do açúcar. Para controlar os níveis de açúcar, o diabético deve evitar alimentos de alto nível glicêmico e situações que podem levar à hipoglicemia, já que estes dois fatores respectivamente levam bruscamente ao aumento e queda da glicemia. Desta forma, devem ser evitados os carboidratos industrializados e alimentos gordurosos e as refeições precisam ter volumes e horários regulares, considerando a atividade física como um cofator fundamental para o controle nutricional.
Mania de Saúde – Algumas pessoas têm dúvida se a insulina engorda ou emagrece. Qual a verdade?
Dr. Cláudio Cola –
Chega a ser um modismo acreditar, usar e infelizmente até prescrever substâncias que reduzem os níveis de glicose no sangue visando o emagrecimento, já que, como explicamos, alto nível de insulina no sangue significa que alta quantidade de glicose está sendo transformada em gordura. A insulinoterapia está indicada apenas para quem tem incapacidade pancreática em produzi-la e as doses são pessoais, dependendo diretamente do peso, da ingestão calórica do indivíduo e do seu nível de atividade física, e visa sempre reestabelecer o equilíbrio do metabolismo da glicose.
Mania de Saúde – Como a Medicina Ortomolecular aborda o diabetes?
Dr, Cláudio Cola –
Hoje a obesidade é considerada uma epidemia mundial. Diante desta realidade, aparecem “soluções milagrosas” para o excesso de peso, além de infindáveis terapêuticas com substâncias novas ou antigas que incluem até hormônios que, quando administrados externamente, sempre causarão efeitos rebote na sua suspensão. Nesta esteira de modernidade, muitas vezes a Medicina Ortomolecular é citada e usada para dar credibilidade a estas práticas terapêuticas arriscadas e sem comprovação. É preciso ter cuidado com isso. Se por definição “Orto” significa Equilíbrio e “Molecular” se refere a Metabolismo, a Medicina Ortomolecular sempre prioriza o equilíbrio metabólico. Por isso se fundamenta no uso criterioso de substâncias comprovadas, com prescrições individualizadas, conhecendo peculiaridades metabólicas do paciente e acompanhando os resultados para que os ajustes individuais necessários sejam adequadamente realizados. Daí a importância do profissional especializado.

Texto produzido em: 20/07/2016