Já faz tempo que o notebook ultrapassou o PC no mercado da informática. Basta entrar nas lojas do ramo para encontrar mais laptops do que computadores de mesa. Diante deste cenário, o trabalho de manutenção do notebook é bem maior do que o de computadores, mas nem todas as pessoas sabem como isso funciona.
“Na nossa loja, de cada dez serviços, nove são em laptops e um em computadores de mesa. A manutenção é um pouco diferente por conta do tamanho das peças e por serem compactas, o que requer mais atenção e cuidados. Por isso é importante que o serviço seja realizado por um técnico”, salienta Igor Vieira, auxiliar técnico em uma loja no Centro de Campos.
Segundo ele, um caso muito frequente nos laptops é o superaquecimento das peças. Se em um computador de mesa esse problema pode surgir com facilidade, imagine em um notebook, em que todos os componentes são compactos e próximos um do outro? 
Para piorar a situação, a abertura para ventilação, na maioria das vezes, puxa o ar da parte de baixo do aparelho. Mas, com o ar, uma quantidade razoável de poeira também entra no equipamento. Essa sujeira se acumula sobre o dissipador e sobre o cooler, impedindo que o ar quente saia de dentro da máquina. Consequentemente, ela superaquece e apresenta problemas.
“Além do aquecimento, os laptops precisam de outros cuidados que os computadores não necessitam tanto. Os notebooks não podem sofrer pancadas, porque o risco de danificar é grande. É necessário atenção com a bateria, que tem vida útil de três anos, em média. Também é importante a limpeza dos componentes externos, como a tela e o teclado. Com bons cuidados e, principalmente, manutenção preventiva, o laptop pode ser útil por um longo período”.
Os acessórios para laptops também merecem uma atenção especial. Teclados, mouses, telas e outros equipamentos tornam os notebooks mais potentes e com um rendimento melhor. “Dependendo dos acessórios e da qualidade, o cliente consegue ter um equipamento de alto nível e que não deixa a desejar em nada para um computador convencional”, concluiu Igor.

Texto produzido em 23/09/2016