Especialista em voz e fala e professora do curso de Fonoaudiologia da UniRedentor, Flávia Barreto ressalta como a saúde da voz precisa receber mais atenção das pessoas

 

Rouquidão, dor na hora de falar, aspereza e garganta coçando. Muita gente não leva a sério e acha que cuidar da voz é coisa de quem canta ou trabalha falando o dia inteiro. Mas a “saúde vocal” ou “higiene vocal”, como os médicos chamam, é essencial para o aparelho fonador de qualquer pessoa e alguns pequenos cuidados garantem que suas cordas vocais fiquem sempre saudáveis. Os cuidados devem ser ainda redobrados no caso de quem trabalha com a voz. Nossa reportagem conversou com a fonoaudióloga Flávia Barreto, especialista em voz e fala e professora do curso de Fonoaudiologia da UniRedentor.
Mania de Saúde – Muitos profissionais utilizam a voz como instrumento de trabalho. Seria importante essas pessoas fazerem um acompanhamento com o fonoaudiólogo? Por que?
Flávia Barreto –
Sim. Seria muito importante que todos os que usam a voz como instrumento fizessem acompanhamento. É importante realizar exames de videolaringoscopia periódicas com o otorrinolaringologista. O ideal seria realizar o exame de 6 em 6 meses, no entanto, uma vez ao ano já seria excelente. E com o fonoaudiólogo o acompanhamento abrange, além de avaliação funcional ou perceptiva da voz, orientações quanto a saúde vocal e também treino de técnicas visando aprimorar a voz e prevenir patologias. Mas, infelizmente, isso não ocorre, pois geralmente muitas pessoas acreditam que a fonoaudiologia atua apenas na reabilitação de patologias. Assim, a demanda que chega aos consultórios destina-se ao tratamento de lesões.
Mania de Saúde – Quais hábitos saudáveis podem ajudar numa boa saúde vocal?
Flávia Barreto –
É importante considerar que muitos hábitos comuns podem ser prejudiciais à voz, dentre os quais se destacam o etilismo, o tabagismo, uso de drogas, consumo de bebidas ou alimentos em temperatura muito elevada, ingestão de líquidos muito gelados, o grito, falar muito sussurrado, pigarro, o uso da voz em frequências diferentes da habitual (emissão de sons muito agudos ou muito graves), alimentos gordurosos, condimentados, achocolatados, café, leite e derivados, o uso da voz durante atividades físicas ou outras atividades que tem força física, automedicação, dentre outros. E são hábitos saudáveis ingerir água em temperatura ambiente, dormir bem, alimentação saudável (alimentos leves, fibras, frutas), fazer repouso vocal após o uso exaustivo da voz, usar roupas leves, que não apertem a região da cintura e do pescoço, fazer aquecimento vocal.
Mania de Saúde – O uso equivocado ou exagerado da voz pode causar prejuízos?
Flávia Barreto –
Sim, com certeza. Principalmente porque muitos usam inadequadamente o mecanismo fonador, podendo fazer ajustes que causem desequilíbrios funcionais. O principal desses ajustes inadequados é a tensão excessiva da musculatura intrínseca e/ou extrínsecos da laringe, que causa grande atrito nas pregas vocais, podendo causar lesões como os nódulos, conhecidos popularmente como calos de pregas vocais. No entanto, há ainda outras patologias de pregas vocais que podem ser causadas pelo abuso vocal. 
Mania de Saúde – Alguma outra consideração importante sobre o assunto que ache interessante ressaltar?
Flávia Barreto –
É importante termos mais consciência da importância da voz em nossas vidas, nas relações profissionais, sociais, enfim, em todos os aspectos da vida. Mas, infelizmente, a comunicação oral é um ato tão natural que muitas vezes é despercebida. E considerando que os sintomas de patologias vocais são comuns a outras patologias, esses podem não ser facilmente correlacionados à saúde vocal ou ainda associados à falsa crença de que são transitórios e melhoraram espontaneamente. Assim, às patologias de pregas vocais não são diagnosticadas precocemente. Infelizmente esse é um problema sério, pois quanto antes diagnosticadas, maiores as chances de reabilitação.

 

A Sociedade Brasileira de 
Fonoaudiologia esclarece em seu site algumas dúvidas frequentes sobre o uso da voz
.


O que é um problema de voz?

Qualquer dificuldade na produção da voz pode ser considerada um problema de voz, como rouquidão, cansaço ao falar, voz fina ou grossa demais, fraca ou forte demais.


Como saber se eu tenho um problema de voz?

Se sua voz ficou diferente nos últimos tempos (rouca, fraca, tensa ou cansada, por exemplo), se melhora quando você fica alguns dias sem falar muito e piora em situações em que usa mais a sua voz, é possível que esteja com um problema. Se as modificações durarem mais que 15 dias, você deve consultar um especialista.


O que fazer quando estou totalmente sem voz?

Se precisar falar, não force, fale baixo e mais devagar, abrindo bem a boca, porém, evite sussurrar. Mantenha-se hidratado bebendo goles de água ao longo do dia e procure um médico otorrinolaringologista e/ou um 
fonoaudiólogo.


Todo mundo pode cantar?

Sim, todos podem cantar, mas para ser cantor profissional é preciso preparar-se. Cantar exige controlar os movimentos dos músculos das “cordas vocais”, boca e demais órgãos da fala, além de desenvolver uma respiração para sustentar as frases musicais. Tudo isso requer treino. 


O que é aquecimento vocal? Como se faz para aquecer a voz? O aquecimento vocal é constituído por uma série de exercícios e movimentos para soltar os músculos envolvidos na produção da voz, melhorar a circulação sanguínea e ajudar a concentração mental necessária para a atividade a que se destina, o que pode ser uma palestra ou o canto.