Você já ouviu falar em Cirurgia Plástica Ocular? Pois é. Nem todo mundo está ciente dessa área de atuação tão comum na Cirurgia Plástica e na Oftalmologia. Mas ela promove diversos benefícios para os pacientes ao cuidar da região periocular e frontal, no terço superior da face, tratando de problemas relacionados com as pálpebras, vias lacrimais e órbita. 
Para abordar o assunto, o Mania de Saúde entrevistou o médico cirurgião plástico Dr. Fabrício Massote, que é Membro Especialista da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica e Subespecializado em Plástica Ocular. Ele explica que a subespecialidade se divide em dois segmentos: cirurgia reparadora e cirurgia estética. “No que diz respeito à reparadora, o nosso próprio envelhecimento traz consigo alterações das pálpebras, principalmente na sua posição, como no caso do entrópio, situação em que os cílios ficam voltados em direção aos olhos, ou da ptose, onde a pálpebra superior fica mais baixa, às vezes ocluindo a visão. São comuns os cânceres de pele que exigem cirurgias um pouco mais complexas para reparar as funções prejudicadas por estruturas comprometidas”, conta Dr. Fabrício. “Quanto à estética, uma queixa muito comum é aquele excesso de pele e gordura tanto das pálpebras superiores quanto das inferiores, que traz um ar de cansaço e um semblante envelhecido. A plástica das pálpebras, chamada blefaroplastia, é uma cirurgia destinada a remover as bolsas gordurosas palpebrais junto com o excesso de pele e eventualmente de músculo, das pálpebras superiores e inferiores. A blefaroplastia, entretanto, não corrige os ‘pés-de-galinha’ (excesso de pele na lateral da órbita) ao redor de seus olhos, nem levanta a sobrancelha caída. Outros procedimentos podem ser associados para corrigir tais aspectos”, acrescentou.
Dr. Fabrício fala do processo cirúrgico e do pós-operatório. “A maioria destes problemas pode ser resolvida, ou pelo menos amenizada, através de pequenas cirurgias realizadas sob anestesia local e uma leve sedação sem a necessidade de internação hospitalar, alta imediata, pós-operatório praticamente indolor e sem grandes restrições e mínimas cicatrizes. A blefaroplastia é indicada para homens e mulheres que se encontram em boa condição de saúde. Não há uma melhor idade definida para a realização da cirurgia estética. Lembramos apenas que as pálpebras apresentam os primeiros sinais de envelhecimento da face. A plástica das pálpebras pode, então, melhorar significativamente a face, suavizando a expressão e conferindo um ar mais rejuvenescido e descansado. Vale a pena ressaltar que, por ser uma parte do corpo com particularidades anatômicas complexas e com a função tão importante de proteção dos olhos, as complicações de cirurgias mal planejadas repercutem não só na estética das pálpebras, mas também na saúde ocular”.

Texto produzido em: 23/07/2017