Aumenta a procura por professores orientadores no final do ano

 

Novembro é sinônimo de preocupação e angústia para os alunos por ser o mês das provas finais nas escolas. E é nesta época que os pais e responsáveis procuram por um professor particular para os filhos que não apresentaram um bom rendimento escolar durante o ano letivo e, principalmente, que estão em risco de repetir de série. O Mania de Saúde foi até um centro especializado em reforço escolar para averiguar a tensão dos alunos que desejam escapar da recuperação e garantirem as férias antecipadas.
No último trimestre do ano, os professores particulares já não têm mais horários na agenda para ajudar aos alunos desesperados e os cursos de reforço escolar também estão lotados. Todos querem tirar o peso das costas que o boletim com notas vermelha ao longo do ano causou. 
O professor Rodolfo Tragueta e mais três professores – Ramon Ribeiro, Rodrigo Brandão e Matheus Cunha – criaram um centro para oferecer reforço escolar para quem não só deseja passar de ano como melhorar o rendimento para encarar os vestibulares.
“Os alunos precisam ter em mente que o estudo não é apenas para passar de ano. O conhecimento adquirido na sala de aula é essencial para ter um bom aproveitamento no vestibular e ingressar em uma universidade. Só que muitos deixam para correr atrás do prejuízo aos 45 minutos do segundo tempo. A maioria que procura o reforço escolar tem êxito, e vai voltar no final do próximo ano em busca do mesmo ‘milagre’. O reforço escolar acaba fazendo a diferença”, declarou Tragueta, que ainda dá aulas de química em três escolas particulares de Campos.
A aula particular também atende aos alunos que sofrem de falta de atenção ou que apresentam dificuldades em acompanhar o ritmo dos demais colegas de classe. É nesta situação que o professor particular faz a diferença e consegue passar ao aluno o conteúdo que até então parecia um “bicho de sete cabeças”.
“O reforço escolar preenche uma lacuna que a escola não consegue preencher. Um professor na sala de aula com mais de 40 alunos não consegue trabalhar as dificuldades de cada um. Então um professor particular vai ter mais sucesso nesta tarefa e o aluno vai conseguir melhorar o rendimento. A aula particular acaba sendo fundamental para aqueles que apresentam dificuldades em sala de aula”, afirmou o professor, destacando também a importância do acompanhamento dos pais e responsáveis neste processo. “O professor particular em outra época eram os pais. A mãe estudava com o filho, o pai explicava uma ou outra coisa. Hoje, isso só acontece quando os filhos estão nos primeiros anos do ensino fundamental. Os filhos vão crescendo, assumindo responsabilidades e os pais deixam de dar o suporte nos estudos”.

 

Texto produzido em: 16/10/2015