O Brasil vive uma grave crise institucional, com a fragilização de algumas instituições que servem de pilar para o Estado de Direito, o que ocasiona discursos autoritários e coloca em risco a liberdade democrática. Diante de um cenário político fragilizado, o papel do judiciário ganha destaque. A figura do advogado é evidenciada em todas as esferas sociais, ainda mais no mês em que é comemorado o Dia do Advogado – 11 de agosto. 
O histórico de lutas da Ordem dos Advogados do Brasil no âmbito dos direitos humanos, na liberdade de expressão e de imprensa, pelo estado democrático de direito, pelo combate à corrupção e ainda a defesa de tantas outras lutas pela melhoria da Justiça e do país, reforça ainda mais o papel do advogado na sociedade.
O advogado Luiz Victor Monteiro Alves defende a profissão com “unhas e dentes” e vê o trabalho como uma “missão de vida”. “Exerço a profissão há 24 anos, mas não tenho dúvida de que sou advogado desde o ventre da minha mãe. Digo isso porque me convenço a cada dia que a advocacia não é uma simples profissão, é uma missão de vida. O advogado é antes de tudo um cidadão da República. É ele quem defende a liberdade, quem luta pela integridade do patrimônio e pela incolumidade da honra, do nome e da personalidade dos seus clientes. O advogado é o pilar do Estado de Direito, é essencial à administração da Justiça, sem a qual não haveria Democracia. O advogado é ‘a antena mais sensível da sociedade’ nas palavras de Piero Calamandrei”.
O momento conturbado da democracia brasileira apenas reforça para Dr. Luiz Victor a importância do papel do advogado na sociedade.  “O desafio da advocacia no momento atual é garantir o integral e intransigível respeito às suas prerrogativas. Ter prerrogativas não se confunde com ter privilégios. Não estamos acima e nem abaixo dos juízes e dos demais operadores do Direito, estamos no mesmo patamar e temos plena liberdade e independência para representar os interesses dos clientes. O advogado não quer o privilégio de estar pessoalmente com os juízes, o advogado quer que os juízes respeitem a prerrogativa do advogado e o receba quando for procurado, o fazendo com respeito e urbanidade”.
Por fim, Dr. Luiz Victor define a representatividade e a relação que tem com a advocacia. “Ela é para mim o que o ferro é para o ímã, é um meio de realizar justiça, uma forma de lutar contras as desigualdades, e é o legado que pretendo deixar quando não tiver mais força para lutar pelos direitos dos que confiaram em mim”.
O Dia do Advogado é comemorado em 11 de agosto pois, nesta data, em 1827, foram criados os dois primeiros cursos de Direito no Brasil: um em Olinda, no Mosteiro de São Bento, e outro em São Paulo.

Texto produzido em: 24/07/2017