Foi-se o tempo em que as gestantes eram sedentárias e evitavam maiores esforços por medo de prejudicar o bebê. Hoje em dia, as grávidas não apenas cumprem seu papel no mercado de trabalho, como também estão cada vez mais presentes nas academias, exibindo bom condicionamento físico em plena gestação.
Segundo a médica ginecologista e obstetra Dra. Rachel Tavares, especializada em ginecologia endócrina, infertilidade, reprodução humana, gestação de alto risco, ultrassonografia e ultrassonografia 3D/4D, as mulheres de hoje têm um outro olhar sobre a gravidez, o que inclui a manutenção da sua rotina de exercícios. 
“Hoje é muito comum as mulheres continuarem fazendo suas atividades físicas mesmo depois de se descobrirem grávidas. Elas devem apenas diminuir a força e evitar exercícios de impacto, como artes marciais, além de atividades que possam ocasionar quedas ou traumas na barriga. O ideal é que seja uma prática de leve à moderada. Caso nunca tenha feito nenhum tipo de exercício, e quer começar na gravidez, ela tem que iniciar aos poucos, por meio de caminhada, musculação leve, Pilates, entre outras modalidades, mas sempre com o acompanhamento de um profissional de educação física e com a liberação do seu obstetra”, disse.
Entre as atividades mais indicadas para as gestantes, segundo Dra. Rachel, estão hidroginástica, natação, bicicleta ergométrica, dança, dentre outras que possam melhorar seu condicionamento físico sem que haja sobrecarga ao corpo. “A gestante pode fazer todas essas atividades desde que não seja de forma muita intensa. Se ela sentir desconforto, falta de ar, mal-estar ou tiver algum tipo de sangramento, deve parar o exercício e avisar ao médico. Outro ponto importante é que, no decorrer da gravidez, a gestante se sentirá mais cansada, mais indisposta e, naturalmente, terá que diminuir o ritmo, devido à própria estrutura e ao aumento da barriga, além das alterações cardiovasculares que ocorrem ao longo da gestação. Existem casos em que as mulheres não poderão fazer atividade física nenhuma, como pacientes com gravidez de alto risco, que têm as suas limitações e precisam ser bem orientadas. Daí a necessidade do acompanhamento do obstetra”, afirmou.
Dra. Rachel cita a importância de encarar a atividade física de forma responsável durante esse período. “A mulher não pode querer começar a fazer todas as atividades físicas, de forma intensa, para ganhar massa muscular ou não engordar na gravidez. Não é esse o propósito. O objetivo da atividade física durante a gestação é diminuir o risco de pressão alta, diabetes, fazer o controle do peso e reduzir problemas como ansiedade, dor nas costas, edemas, aparecimento de varizes, cãibras das mãos e dos pés, além de aumentar a tolerância à dor e melhorar os quadros de lombalgia, que vão surgindo no decorrer da gestação. Tudo isso beneficia a saúde da mãe e, também, a do bebê, porque melhora a circulação de nutrientes e torna a gravidez mais saudável”, ressaltou a médica.
Quer se tornar uma gestante mais saudável? Converse com seu obstetra e se exercite!

Texto produzido em 20/03/2019