Filhos, em geral, têm os pais como ídolos. É comum herdar hábitos, ideais, profissão ou torcer para o mesmo time. Mas, algumas vezes, é um automóvel que serve como elo nessa relação. Este é o exemplo do pai Rafael e do filho Lauro, que, além de dividirem a mesma paixão e gosto por carros antigos, atuam como mecânicos. Em um grande galpão pelas redondezas do centro de Campos e com verdadeiras relíquias no quintal, pai e filho receberam a reportagem do Mania de Saúde para contarem a história que os une além da questão do sangue.
Aos 62 anos, Rafael Peixoto nutre a paixão por carros antigos desde a infância. E o amor pelos veículos virou hobby. “Sempre fui aficionado por carros, especialmente os modelos americanos da década de 50. Então passei a restaurar alguns veículos para uso próprio e meus filhos tomaram gosto por causa do exemplo que tinham em casa. Não foi nada forçado da minha parte. A mesma coisa agora com os meus netos. Eles brincam aqui na oficina e já estão tomando gosto”.
O sonho de restaurar um caminhão norte-americano Kenworth 921, fabricado em 1950, virou realidade para Rafael em cinco anos. “Foram muitos dias de trabalho. Retirei da sucata e o deixei novinho. É um trabalho muito prazeroso e ter a companhia dos meus filhos e da minha família torna este sentimento ainda maior”, comenta o patriarca da família, lembrando o prêmio que recebeu no Encontro de Veículos Antigos de Águas de Lindóia em 2006 com o único Kenworth 921 no Brasil.
Do outro lado, o filho Lauro não esconde o orgulho do pai e de ter seguido seus passos. “Não lembro ao certo quando comecei a gostar de carros antigos. Pelo jeito foi desde o berço. Cresci dentro de uma oficina e eu gostava de ajudar meu pai naquilo que ele estava fazendo. Então foi algo bem natural. Tudo que aprendi foi com ele e isso não tem preço”, conta o filho de 35 anos e que sempre debate com o pai sobre veículos e projetos de restauração.
A última obra de Rafael, Lauro e família foi o Dodge 1975 pick-up. O veículo foi personalizado e ganhou um moderno motor a diesel. “É um legítimo street rod, que é quando um carro antigo recebe peças e acessórios originais e contam com uma pintura e acabamento especial, mas as principais mudanças estão na parte mecânica. É um carro que chama atenção por onde passa e é admirado por várias gerações”, afirma Lauro, que já tem outros projetos de restauração em mente. “Restaurar um veículo e modificá-lo é algo único. A sensação de exclusividade também me motiva a fazer esse trabalho. Vamos começar outro em breve, e com a companhia do meu pai, claro”.

Texto produzido em: 18/04/2018